Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias


14/05/2012 às 17:37 - Tudo pronto para reinício da parceria do PST-Navegar com ministério em Estrela (RS)  

O esporte de inclusão social também gera emprego e renda. A prefeitura municipal de Estrela, no Rio Grande do Sul, está com inscrições abertas até terça-feira (15.05) para o processo de seleção de monitores do Programa Segundo Tempo-Navegar. As vagas são destinadas a cadastro de reserva nos cargos de monitores de remo, vela e canoagem. O salário é de R$ 675,00, por 30 horas semanais. A seleção ocorrerá por meio de processo seletivo realizado com análise de currículos.

Funcionando na Sede dos Projetos, no antigo prédio da Ambev, o PST-Navegar é mantido desde 2007, com recursos da prefeitura de Estrela. De acordo com a coordenadora-geral do programa, Patrícia Wagner, está quase tudo pronto para o reinício da parceria com o Ministério do Esporte, que durou até 2006. “Estamos aguardando a ordem de início da pasta para colocar em prática todo o planejamento”, conta.

Patrícia Wagner antecipa novidades para a nova parceria, como a adoção do xadrez no projeto que tradicionalmente desenvolve apenas atividades na água. “Daremos aulas de xadrez, uma vez por semana, para que os jovens beneficiados trabalhem a concentração e, dessa forma, desenvolvam melhor os esportes náuticos”, justifica a gestora.

Enquanto aguardam o sinal verde do Ministério do Esporte, cerca de 130 crianças e adolescentes aprendem a arte dos esportes náuticos. Os beneficiados são crianças e adolescentes moradores da cidade e da zona rural, a exemplo dos bairros Marmitt, Imigrantes, Loteamento Popular e Auxiliadora.

Jovens como Jordan Guilherme Pereira, 14 anos, que gostam de jogar futebol, encontraram na prática do remo uma fórmula para superar as notas baixas. O menino, filho de pais caixa e fiscal em uma rede de supermercados, conta que antes de entrar para o   PST- Navegar ele ficava em casa, á toa, assistindo televisão.

Tamanha era a preguiça do jovem que ele não tinha ânimo para estudar. Por isso,  suas notas nas disciplinas Português, Matemática e História estavam sempre baixas. “Depois que passei a acordar cedo todos os dias – chego às 8h30 no projeto –, faço um lanche e vou direto treinar na água. Sobra disposição para estudar. Estou feliz porque minhas notas melhoraram bastante”, afirma.

Quando o assunto são as mudanças positivas no comportamento dos jovens alunos, o instrutor de vela Almir Gilnei Schmidt, 45 anos, não disfarça a emoção. Apaixonado pelo Navegar, ele revela o quanto a prática dos esportes de elite tem transformado para melhor a vida dos integrantes da turma. “Ao entrar para o Segundo Tempo eles chegam ariscos, muito rebeldes. Mas ao descobrir o poder das embarcações eles entram para a fase da surpresa e da disciplina”, revela.


Carla Belizária
Foto: divulgação
Ascom – Ministério do Esporte
Acompanhe as notícias do Ministério do Esporte no Twitter e no Facebook


  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: