Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias


28/07/2011 às 18:55 - Olimpíada do Programa Segundo Tempo reúne 1,2 mil alunos carentes no Rio Grande do Sul  

O sucesso dos Jogos Mundiais Militares fez o Brasil dar uma mostra do seu potencial para realizar megaeventos esportivos. Com a Copa das Confederações-2013, a Copa do Mundo-2014 e os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos-2016, o esporte virou centro das atenções, principalmente da juventude brasileira. Para trabalhar a experiência desses jovens, a cidade de Santo Ângelo, no Rio Grande do Sul, realizou nesta semana a 1ª  Olimpíada do Programa Segundo Tempo, que reuniu 1,2 mil alunos carentes – 10% deles assistidos pela Promotoria da Infância e da Juventude e indicados pelo Conselho Tutelar.

O evento, que integrou os 12 núcleos do convênio entre o Ministério do Esporte e a prefeitura de Santo Ângelo, teve resultados impressionantes. “A alegria das crianças na hora de ganhar é coisa nova, uma emoção jamais vivida por elas”, revela o coordenador-geral da parceria, Paulo Machado. O professor de educação física explica que, mesmo se tratando de um programa de inclusão social, a massificação do esporte por meio de campeonatos é uma excelente oportunidade de descobrir novos talentos.

“Não sabia que era tão boa assim no esporte”, dispara Sheila Aires, 12 anos. A estudante da 5ª série, que mora na casa dos avós com mais três irmãos, foi uma das crias do Segundo Tempo a brilhar duas vezes no atletismo durante as olimpíadas. A adolescente foi ouro no arremesso de pelota, com peso de 400 gramas, na categoria iniciante/mirim,  lançando-o a uma distância de 31 metros. Sheila também foi prata na prova de corrida de 200 metros, com o tempo de 50 segundos, um a menos que Francieli Moraes, a estudante vencedora.

As olimpíadas, encerradas na quarta-feira (27.07), foram disputadas no masculino e no feminino, nas categorias mirim, infantil e juvenil. Além do atletismo, com provas de arremesso de peso e de pelota, salto em distância e corridas de 70, 75, 200 e 400 metros, houve competições de futsal, futebol sete (society), handebol, basquete, minivôlei, voleibol e xadrez.

Objetivos
O secretário Nacional de Desenvolvimento de Esporte Educacional, Wadson Ribeiro, explica que a ação de criar campeonatos esportivos para universalizar o desporto vai ao encontro dos objetivos propostos pelo Ministério do Esporte. “A meta do Segundo Tempo é formar cidadãos com valores positivos do esporte. Mas é sempre bom quando o programa revela atletas de potencial”, admite.

Na opinião do prefeito de Santo Ângelo,  Eduardo Loureiro, ao criar a integração dos estudantes, o evento fortaleceu os princípios propostos do Segundo Tempo: promover a cidadania por meio do esporte. “É um programa que prepara nossos jovens para os desafios do futuro”, garante.

As unidades de atendimento funcionam nos bairros Garibaldi Carrera Machado (Indubrás), José Alcebíades de Oliveira/João Goulart, Nova, Olavo Reis, Pippi (Centro Social Urbano), Centro Sul, Sepé/Harmonia, Haller, São João/Moscon, Neri Cavalheiro, Aliança/São Pedro e Barra do São João. No período oposto ao do turno escolar, o beneficiado pratica esporte, conta com reforço escolar, alimentação e recebe uniforme e material  esportivo gratuitos. Oficinas de artesanato, além de aulas de dança, música e teatro, são atividades complementares.

Carla Belizária
Foto: Divulgação
Ascom – Ministério do Esporte


  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: