Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias


18/08/2006 às 17:40 - Capitais de 25 estados mostram conquistas do Programa Xadrez nas Escolas  

Um cronograma iniciado no dia 10 de agosto deu início a uma série de visitas aos 25 estados brasileiros onde o Programa Xadrez nas Escolas está em funcionamento. O propósito da atividade é verificar as ações desenvolvidas, os avanços conquistados e buscar a permanente qualificação do atendimento. O programa é desenvolvido em parceria do Ministério do Esporte e do Ministério da Educação.

As capitais Recife (PE) e Teresina (PI) foram as primeiras a serem visitadas. Na próxima semana, de 21 a 24 de agosto será a vez de Macapá (AP), Belém (PA) e Boa Vista (RR) receberem equipe técnica da Secretaria Nacional de Esporte Educacional.

Em Teresina, a equipe do Ministério do Esporte acompanhou o 1º Congresso Nacional de Xadrez Pedagógico. O evento, realizado na Associação Piauiense de Municípios (APPM), destacou a importância do xadrez na promoção de estratégias para inclusão e permanência do aluno na escola. O coordenador nacional do Xadrez nas Escolas, Sólon Pereira, esteve no encontro, que reuniu especialistas e jogadores de todas as idades.

José Barros, secretário de Educação do Estado do Piauí, anunciou os benefícios do programa. A Unidade Escolar Antônio Tarcísio, antes conhecida pelos altos índices de violência e depredação, está modificada. “Com a chegada do xadrez, os alunos estão mais participativos e os índices negativos baixaram”, revelou o secretário. A parceria iniciada com 40 unidades de ensino hoje atinge 100 escolas na capital e no interior do estado.

Em Recife, a Gerência Regional de Educação (Gere) reuniu a comunidade escolar para iniciar as atividades do Programa Xadrez nas Escolas 2006. Cerca de 2 mil alunos dos ensinos fundamental e médio, de 48 escolas estaduais da Região Metropolitana do Recife (RMR) e do interior estão envolvidos no projeto.

Impulso maior às atividades escolares
Gilvaldo Silva, professor de matemática em Recife, utiliza o xadrez como ferramenta para aprimorar o rendimento estudantil em sua disciplina. “O xadrez ajuda o aluno a raciocinar, a aplicar estratégias, a ter uma melhor concentração e reflete diretamente na evolução do trabalho em sala de aula”, falou. A ação pôde ser constatada por Renato Luis da Costa, 14. O estudante da 7ª série, na Escola José Maria, joga xadrez há mais de três anos. “O esporte é divertido e ainda melhorou minhas notas”, afirmou o jovem.

Nessa parceria com a Secretaria de Educação, Cultura e Esportes (Seduc), já foram entregues os kits de xadrez (tabuleiro, peças de xadrez, livro sobre as técnicas do esporte e painel para o professor ministrar aula). A capacitação dos professores aconteceu ano passado e agora eles serão multiplicadores para dois alunos, que ficarão responsáveis pelas aulas.

Em Pernambuco, os municípios com altos índices de risco social incluídos no Xadrez nas Escolas são: Abreu e Lima, Barreiros, Itapissuma, Itamaracá, Igarassu, Paulista, Olinda, Limoeiro, São José da Coroa Grande, Tamandaré, Jaboatão e Camaragibe.

Programa Xadrez nas Escolas
O projeto teve início em 2004 e envolveu inicialmente, em atividade piloto, 6,4 mil estudantes dos estados do Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pernambuco e Piauí. O programa foi ampliado no início deste ano e passou a atender mais de 300 mil alunos da rede pública estadual de ensino do País. A melhoria no rendimento escolar e a redução da dispersão dos alunos na sala de aula foram identificados entre os enxadristas. Uma proposta dos dois ministérios parceiros, da Educação e do Esporte, já foi fechada para dobrar o número de crianças atendidas em 2007.


Carla Belizária
Ascom - Ministério do Esporte



  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: