Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias


06/03/2006 às 09:54 - De olho numa profissão, jovens do Segundo Tempo vão aprender culinária árabe  

O clima era de alegria e de muita esperança em um futuro melhor. Na manhã de sábado (4/3), na Chácara Vargem da Benção, no Recanto das Emas, nem mesmo a forte chuva que caiu durante toda a manhã conseguiu apagar o brilho da festa - e muito menos a euforia de dezenas de crianças e adolescentes que aguardavam ansiosos o anúncio da chegada do Segundo Tempo para 3 mil crianças. Antes eram atendidos 800 jovens.

Na solenidade de ampliação da parceria do Segundo Tempo com o Instituto Cirlene Ferreira, o clima era de muita descontração. Em um lado da sala eram expostos os trabalhos artesanais feitos pelos próprios estudantes. Ao centro, o estudante Fábio Pinto, 14, e a professora Tânia Maria declamavam o poema As Duas Faces, de Carlos Drummond de Andrade. Em outro ponto da sala, o professor de culinária Yassyn Adnane, 32 anos, preparava um delicioso almoço que foi servido aos presentes.

A nova unidade de atendimento do Segundo Tempo traz a parceria local com o projeto Plantar e contempla jovens que foram vítimas de maus tratos e violência doméstica que agora são acompanhados pelo Juizado de Menores. Na casa onde moram, longe do convívio dos familiares agressores, eles agora poderão praticar esporte, ter reforço escolar e alimentar e ainda serem aprendizes de uma profissão: a culinária árabe.

Yassym Adnane é agora monitor do Segundo Tempo e vai ensinar a arte da cozinha marroquina. Aprendizes como U. C. A, 17 anos, estão determinados em seguir carreira. Morador da chácara Vargem da Benção, o estudante da 1ª série do ensino médio encontrou na atividade extracurricular uma grande oportunidade de trabalho. Todos os adolescentes maiores de 16 anos que se profissionalizarem serão incluídos num banco de dados disponibilizado aos restaurantes da cidade. “Queremos poder estagiar e, quem sabe, conseguir um emprego no futuro”, contou, esperançoso, o jovem.

Durante o evento, o ministro do Esporte, Agnelo Queiroz, falou sobre a importância de se formar uma ampla rede de proteção a crianças carentes. “Quando uma parceria funciona bem, a meta é ampliá-la ainda mais. O núcleo Cirlene Ferreira é também uma referência no judô e ainda utiliza o esporte como ferramenta de superação de preconceitos e de união entre moradores das comunidades onde o Segundo Tempo atua”, elogiou Agnelo.

O núcleo do Segundo Tempo na chácara Vargem da Benção possui 300 mil metros de área total. O espaço será aproveitado para o ensino do plantio de hortaliças. Também serão oferecidas aos contemplados aulas gratuitas de inglês, francês e espanhol, oficinas de customização (aplicações de bordados e desenhos sobre roupas), de biscuit (artesanato com massa de modelar), além de cursos de teatro, balé e radiodifusão.

Na área esportiva as crianças vão aprender a jogar futebol - com direito a inclusão em banco de talentos. O trabalho junto aos futuros craques será coordenado por juizes e árbitros de Brasília. Também serão oferecidas aulas de judô, basquete e xadrez.

Além do ministro Agnelo Queiroz, estiveram presentes na cerimônia a coordenadora da Capacitação do Ministério do Esporte, Lene Santiago, os diretores do Instituto Pró Brasil, Zilmar Moreira e Jovem Tibério, o delegado titular da delegacia do Recanto das Emas, Ivanilson de Melo, e Rosa Maria de Jesus, 80 anos. Bisavó de estudantes do Segundo Tempo, ela foi beneficiada pelo programa com o curso de alfabetização de adultos oferecido pelo núcleo Cirlene Ferreira.


Carla Belizária


  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: