Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias


13/10/2005 às 17:01 - Vaqueiros mirins do Programa Segundo Tempo são semifinalistas do Prêmio Itaú-Unicef  

Segura o coração do Peão! A cidade de Arraias, no estado de Tocantins, está em festa. O Segundo Tempo - Campo Esperança, uma parceria entre Ministério do Esporte e Fundação Vó-Ita, está na semifinal da 6ª edição do Prêmio Itaú-Unicef “Tecendo Redes”, disputando com um total de 1.682 projetos sociais de todo o Brasil.

Criado em 1995 pela Fundação Itaú Social e pelo Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), o prêmio identifica e valoriza organizações não-governamentais (ONGs) que desenvolvem atividades sócio-educativas em favor da escola pública. Na edição deste ano do concurso, entidades concorrentes ao Premio Itaú-Unicef participam de duas etapas de premiação.

A fase regional acontece de 18 de outubro a 17 de novembro. Esta primeira fase distribuirá um micro-computador com impressora para todos os concorrentes que chegaram às semifinais, e 30 prêmios de R$ 8 mil para quem chegar à final. A cerimônia de premiação da fase regional – em que o Segundo Tempo - Campo Esperança concorre nas semifinais – acontece em Belém (PA), no dia 27 de outubro, no Teatro Maria Sylvia Nunes, na Estação das Docas. A premiação nacional – segunda etapa –, prevista para o dia 28 de novembro, será em São Paulo. Os finalistas concorrem a prêmios de R$ 100 mil, R$ 70 mil e R$ 50 mil, respectivamente, para os três primeiros lugares.

Os trabalhos foram avaliados em Belém/PA(região norte), Fortaleza/CE (região nordeste), Rio de Janeiro/RJ (estado e capital), São Paulo/SP (grande São Paulo), Ribeirão Preto/SP (interior e litoral de SP), Curitiba/PR (região Sul) e Goiânia/GO (Cento Oeste e Distrito Federal).

Atividade de sucesso - Cerca de 1.360 estudantes carentes filhos de trabalhadores rurais, além da prática de esportes convencionais e tradicionais (cavalgada, provas dos três tambores e das seis balizas), têm assegurado pelo Ministério do Esporte reforço alimentar e escolar. Os vaqueiros mirins do Segundo Tempo foram atraídos pela vontade de se tornarem atletas do campo. Eles são contemplados em duas unidades de atendimento do Segundo Tempo: um núcleo urbano, no centro de Arraias e outro, no Distrito de Canabrava e Povoado Quilombola de Lagoa da Pedra.

Cerca de 50 educadores sociais - coordenadores, monitores e assistentes sociais e voluntários - atuam no Segundo Tempo - Campo Esperança. Eles desenvolvem trabalhos de conscientização com os jovens na área da saúde (combate à gravidez precoce, DST/Aids e higiene bucal), meio ambiente, arte, cultura, educação para o trabalho, etiqueta e cidadania.

Para combater a baixa auto-estima, os adolescentes do Segundo Tempo aprendem a tocar viola, dançar catira, congo e sússia, cantar músicas, rezas e ladaínhas tradicionais nas folias de Reis e Festa do Divino Espírito Santo. Eles também se apresentam na principal festa da cidade, os Jogos Rurais de Arraias, um momento único onde é mostrado para a comunidade o resultado do que eles aprenderam no programa.

Números que fazem a diferença - Com a auto-estima elevada, os resultados positivos na educação não poderiam ser melhores. Do total de crianças beneficiadas, houve 90% de aproveitamento escolar marcado pela redução da repetência e da evasão e com a melhora significativa das notas dos alunos, segundo dados da Fundação Vó-Ita, que contaram como pontos para a escolha do Programa como semifinalista.

O passado de quase 310 estudantes (cerca de 23% dos beneficiados) era marcado pelo abandono escolar. Além da desestrutura familiar, a inanição fazia com que as crianças abandonassem a escola para ajudar os pais durante a colheita na roça. A evasão é um fenômeno bastante freqüente na população local, que vive basicamente da agricultura de subsistência. Agora, graças ao reforço escolar oferecido pelo Programa Segundo Tempo, esse quadro negativo caiu, sendo reduzido para menos da metade do número inicial – pouco menos que dez por cento.

De acordo com Antônio Aires, coordenador geral do programa, cerca de 130 crianças são acompanhadas pelo Conselho Tutelar, do Ministério Público, numa ação que serve de ponte para orientação dos pais dos jovens. “Pais e mães de alunos estão sendo conscientizados quanto à importância de os filhos permanecerem na escola. Em casos de resistência, o problema é encaminhado à promotoria pública”, explica o educador.

Alimentação para famílias desnutridas - A metodologia de atendimento com visitas domiciliares às famílias de alunos do Segundo Tempo é o grande diferencial. Todos os alunos recebem reforço alimentar nos núcleos do Campo Esperança, de segunda a sexta-feira, e ainda aprendem a preparar os alimentos sem que eles percam seus nutrientes. No caso de crianças com inanição, o programa oferece às famílias kits de alimentação.

Arraias é referência de sucesso - Para o ministro do Esporte, Agnelo Queiroz, a classificação da Fundação Vó-Ita no premio Itaú-Unicef mostra o reconhecimento do Programa Segundo Tempo como ferramenta de desenvolvimento humano por uma entidade de peso, como o Unicef. “A meta é ampliar os atuais um milhão de crianças carentes beneficiadas no Brasil para 2 milhões”, antecipou o ministro.


Carla Belizária


  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: