Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias


09/08/2005 às 17:49 - Crianças carentes do Segundo Tempo participam de workshop na Suíça  

O governo federal brasileiro está contribuindo ainda mais para a meta da Organização das Nações Unidas (ONU) de utilizar o esporte como ferramenta eficaz para atingir o desenvolvimento mundial no milênio. A convite do secretário da ONU para o esporte, Adolf Ogi, quatro crianças carentes do Programa Segundo Tempo vão representar o Brasil no Play for Peace (Jogar pela Paz), que acontece de 13 a 27 de agosto, na cidade de Trogen, Suíça.

Trata-se de um acampamento internacional da juventude, um workshop de caráter sócio-esportivo que reunirá mais de 200 adolescentes, de 20 países, na faixa etária de 13 a 17 anos. Para o ministro do Esporte, Agnelo Queiroz, “o convite da ONU é o reconhecimento do Segundo Tempo como um modelo de programa de combate à exclusão social que deve ser seguido pelo mundo”.

Uma confraternização no Grupamento dos Fuzileiros Navais, nesta terça-feira (9/8) marcou a despedida dos jovens. A solenidade cívico-militar contou com as presenças do ministro Agnelo Queiroz, do secretário-adjunto do Ministério da Defesa, Luiz Antônio Cordeiro e dos comandantes Lino e Barros, além do capitão de mar-e-guerra, Antônio José Honório de Almeida. Familiares das crianças beneficiadas e participantes dos núcleos onde quatro dos estudantes que vão à Suíça são atendidos também marcaram presença. São elas as ONGs Instituto Pró Brasil (Valparaízo/GO) e Obras de Promoção e Assistência à Infância e Adolescência (OPAI/ Recanto das Emas/DF) e Grupamento dos Fuzileiros Navais (Brasília/DF).

Os estudantes Lucas Oliveira, 13, Carliane Silva, 14, João Gabryel Medeiros, 15, e Rayna de Souza Soares, 15, embarcam para a Europa nesta quinta-feira (11), às 8h30, no Aeroporto Internacional de Brasília. Eles serão acompanhados pela gerente de Projetos Sociais do Ministério do Esporte, Fabíola da Mota Alves. Além dos jovens do Brasília, destacam-se estudantes de países como Honduras, Guatemala, El Salvador, Colômbia, Israel, Palestina, Suíça, Etiópia, África do Sul, Indonésia, Alemanha, Estados Unidos e Noruega.

O Escritório Internacional do Esporte e Educação Física é o departamento da ONU responsável pela organização do acampamento internacional da juventude. Conta com a parceria da Agência Suíça de Desenvolvimento e Cooperação da Fundação Pestalozzi e pela ONG internacional Right to Play (Direito de Jogar). Entre as exigências para a escolha dos jovens do Segundo Tempo destacam-se a boa saúde, o interesse por esporte, a pró-atividade e o espírito e a habilidade para conviver em grupo, ter mente aberta, capacidade de se expressar em público, e, principalmente, ter interesse em conhecer jovens e culturas de outros países, assim como, compartilhar a cultura brasileira com os demais.

Durante os 14 dias que estarão em território suíço, os estudantes brasileiros participarão de diversas atividades de intercâmbio. Além de workshops, palestras e conhecer Turic, a cidade onde o acampamento foi montado, a programação inclui visitas a mais quatro cidades do país. Em Gabris e Santes eles farão passeios turísticos. Em Zuric está agendado um encontro com atletas de alto rendimento. Já em Saint Gallen, os jovens participam de torneios de futebol com jogadores da Fifa.

Os estudantes Lucas Oliveira, 13 anos, e Rayna de Souza, 15 anos, atendidos no núcleo dos Fuzileiros Navais, moram no Acampamento Rabelo e na Vila Planalto, respectivamente. “Sempre fui um aluno aplicado. Desde que passei a freqüentar o programa adquiri senso de responsabilidade”, revela, com propriedade, Lucas. Rayna, por sua vez, garante que o programa, além de ajudá-la na recuperação de Matemática no primeiro bimestre, agora está lhe dando uma oportunidade jamais esperada. “Vou conhecer o exterior e jovens com outras culturas”, vibra.

João Gabryel Medeiros mora no Recanto das Emas (DF) e está contando as horas para embarcar. Filho único de Mírian Souza, vendedora autônoma de doces e balinhas, ele freqüenta o núcleo do programa na sede da ONG Obras de Promoção e Assistência à Infância e à Adolescência (OPAI). “Graças ao Segundo Tempo, ele ganhou uma viagem que criança pobre jamais teria condições de fazer. É um presente de 15 anos melhor até que uma festa de aniversário que qualquer mãe gostaria de oferecer”, festeja Mírian, emocionada.

Moradora do bairro Céu Azul, no Valparaízo (GO), entorno do DF, Carliane Silva tem 14 anos. Seu pai é ajudante de eletricista e sua mãe costureira. A jovem, beneficiada na parceria com o Instituto Pró Brasil, está radiante com a oportunidade. “Vou aproveitar bastante e conhecer muita gente diferente”. Já a mãe, dona Francisca Silva, disse estar com o coração apertado, porém está muito feliz. “Minha filha é obediente e esforçada na escola. Só confio deixá-la viajar sozinha se acompanhada pelo pessoal do Programa Segundo Tempo. Sei que ela está em boas mãos”, admite.


Carla Belizária


  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: