Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias


30/06/2005 às 15:24 - Encontro Regional reúne 800 profissionais do Segundo Tempo  

A formação é um assunto tão importante quanto a execução. E quando se trata de qualificação profissional, o Programa Segundo Tempo no Distrito Federal dá o exemplo. Iniciativas realizadas na capital do país por cerca de 15 entidades parceiras do Ministério do Esporte, desenvolvidas por mais de 800 profissionais entre gestores, professores e estudantes universitários de Educação Física e de Pedagogia, estão assegurando uma melhor qualidade de vida aos mais de 60 mil estudantes carentes contemplados.

Todos esses profissionais se reúnem hoje (30/6) e amanhã (1/7) no auditório da Universidade Paulista (Unip), em Brasília, no 2º Seminário Regional do Programa Segundo Tempo. A solenidade, aberta pelo ministro do Esporte, Agnelo Queiroz, contou ainda com a presença do secretário Nacional de Esporte Educacional, Rafael Aguiar, do diretor de Esporte Escolar e Identidade Cultural, Júlio César Soares, da coodenadora de Capacitação do programa Segundo Tempo, Ralcilene Santiago e do diretor Geral da Unip, Gilberto Brihy.

Em seu discurso, Agnelo Queiroz manifestou a satisfação do governo federal com a amplitude dos resultados positivos do programa de inclusão social do Ministério do Esporte. “Quando preparamos mais nossos recursos humanos, estamos assegurando um futuro melhor para a juventude, tirando esses meninos e meninas da exclusão”, afirmou.

Segundo o ministro, em uma simples brincadeira é possível educar uma criança por meio da prática esportiva. Agnelo citou como exemplo o fato de o Ministério do Esporte ter doado ingressos para cerca de 450 crianças assistirem pela primeira vez a um jogo da seleção brasileira. Os jovens assistiram a uma partida de vôlei disputada pela nossa seleção contra a de Portugal, no Ginásio Nilson Nelson, em Brasília. “O trabalho de equipe administra as brincadeiras, assim como as datas dos eventos são muito importantes. Elas podem, por exemplo, servir de tema para alguns estudos, como o folclore do país adversário em quadra”, sugeriu o ministro.

Na solenidade de abertura, cerca de 20 crianças do coral Pequeninos de Cristo, contempladas na parceria com a Associação dos Servidores do Tribunal de Contas da União (ASTCU), apresentaram o hino nacional. Depois, foi a vez de uma apresentação de maculelê, uma dança similar à capoeira, com 10 crianças do núcleo Aconchego, da parceria do Segundo Tempo com o Instituto Pró Brasil, de Valparaíso (GO). Fechando as apresentações, um grupo de crianças e jovens da parceria com a Federação dos Trabalhadores do Comércio (Fetracom), apresentou ginástica artística e swing baiano.

O secretário Rafael Aguiar informou que o seminário antecipa o Encontro Nacional de Gestores, que deve acontecer no segundo semestre, em Brasília. Para o secretário, as experiências aqui vivenciadas serviram de exemplos para implantação do programa tanto no Brasil quanto no exterior. “O Segundo Tempo já está na África do Sul e, em breve, chegará ao Haiti”, informa.


Carla Belizária


  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: