Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias


10/04/2005 às 10:00 - Canoagem e corrida de orientação são diferenciais do Segundo Tempo em Bonito (MS)  

Um dos lugares brasileiros mais privilegiados pela natureza, Bonito (MS), foi contemplado na última semana com um núcleo do Segundo Tempo, programa de inclusão social do Ministério do Esporte. A unidade segue a linha da preservação ambiental e oferece esportes ecológicos, como a canoagem, e a corrida de orientação para 200 estudantes carentes, entre eles, 30 descendentes de índios Terena.

Para começar com o pé direito, os alunos do Segundo Tempo participarão como expectadores do 27º Campeonato Brasileiro de Orientação, que reúne de 11 a 17 de abril cerca de 60 militares atletas da Marinha, Exército e Aeronáutica. A disputa é uma seletiva para o Campeonato Mundial da modalidade que acontece em junho de 2005, na Finlândia. Ainda este mês, os jovens também irão prestigiar a quarta edição do Campeonato de Orientação do estado, que contará com a participação de atletas locais.

Para o tenente coronel Paulo Roberto Ribas, assessor da Comissão Desportiva Militar do Brasil (CMDB), essa é uma oportunidade de divulgar o esporte praticado nas Forças Armadas, que usa a própria natureza como campo de jogo. “A Corrida de Orientação será apresentada à população local, aos turistas e aos futuros atletas do país. Temos certeza que o potencial para a modalidade será identificada entre os estudantes do Segundo Tempo”, apostou o militar.

Entre os 200 contemplados em Bonito pelo Segundo Tempo, em parceria com a Confederação Brasileira de Canoagem (Cbca), destacam-se 60 alunos da Patrulha Mirim e do Projeto Florestinha, programas da Polícia Militar e Polícia Ambiental. Todos os estudantes, inclusive os descendentes de comunidades indígenas, vêm de famílias de baixa renda moradoras da região periférica de Bonito, nos bairros Rincão Bonito, Vila Domária, Vila Machado e no Conjunto Habitacional Xerogami.

O Segundo Tempo buscou parceria locais para melhorar a operacionalização das atividades do núcleo. A Prefeitura de Bonito, por exemplo, disponibilizou o ginásio Juscelino Kubitscheck, onde as crianças jogam vôlei, judô, futsal e xadrez e recebem reforço escolar e alimentar. No estádio Aurestes Félix Garcês, elas praticam futebol e em breve poderão participar do atletismo após uma reforma na pista. Já a canoagem e a corrida de orientação acontecem graças à parceria com o Parque Ecológico.

Durante o lançamento do Segundo Tempo no último sábado (02/04) no Parque Ecológico da Lagoa do Rio Formoso, os alunos aprenderam na prática a canoagem. Munidos de coletes salva-vidas, mesmo os que não sabiam nadar, como a estudante Magna da Silva, 14 anos, entraram nos caiaques e ainda deram alguns mergulhos na lagoa. A iniciativa da garota - a última a sair da água - foi para Caciano Hudson de Lima, diretor de Cultura e Esportes de Bonito, “uma mostra de que o esporte social é também uma importante ferramenta de superação do medo”.

Rafael Sanches, 15 anos, acredita que estar no Segundo Tempo é o primeiro passo para um futuro brilhante por meio do esporte. “Serei um dos melhores da canoagem. Assim, no futuro, eu posso defender o Brasil nas olimpíadas”, planejou. Fernando Silva acredita que vai melhorar o currículo profissional com as atividades extracurriculares do núcleo. “Não tenho condições de pagar o curso de informática e graças ao Segundo Tempo terei a possibilidade de conseguir um emprego com mais rapidez quando completar 18 anos”, argumenta.

“Queremos despertar nas crianças do Segundo Tempo o interesse pelo esporte de aventura praticado nas florestas e parques ecológicos, que demanda rapidez de raciocínio e conta com o auxílio de apenas dois equipamentos: um mapa e uma bússola”, revela o canoísta Sílvio Rosa, coordenador do Segundo Tempo.


Carla Belizária


  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: