Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias


05/01/2005 às 14:29 - Segundo Tempo atende portadores de necessidades especiais em TO  

Brasília 05/01/2005 (Ascom/ME) - Janeiro será um mês especial para 35 crianças portadoras de deficiências físicas, auditivas e visuais em Palmas, Lageado e Porto Nacional. No próximo dia 15, o grupo especial vai se unir aos 800 jovens já atendidos pelo Segundo Tempo nas três cidades do Tocantins. Além de reforço alimentar e escolar, de uniforme e material esportivo, receberão gratuitamente atividades esportivas como a canoagem, cujos barcos foram adaptados para comportar o tripulante de acordo com sua necessidade diferenciada.

“São pessoas se sentiam tão excluídas e tão conformadas com a situação que sequer imaginavam serem dignos desse benefício”, declarou Ton Eagleton Fernandes, coordenador do Segundo Tempo-Canoa Brasil. O responsável pelos núcleos de atendimento em Palmas, Lageado e Porto Nacional explica que a escolha dos jovens se deu mediante visitas às famílias que habitam em áreas de risco social e por meio de indicação da Apae - Associação de Pais e Alunos de Excepcionais locais.

A coordenação motora foi critério para opção dentre as modalidades. Alunos com deficiência nos membros inferiores, por exemplo, optaram pela canoagem, que exige maior domínio com os braços. Já a deficiência nos membros superiores induziu a prática do futebol de areia. “Também oferecemos o vôlei para aqueles com deficiências pequenas”, completou Ton Eagleton.

A gestão do Segundo Tempo nas três cidades tocantinenses é da Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa), nas unidades (associações e federações) vinculadas. A parceria leva o nome Segundo Tempo Canoa-Brasil e contempla 25.400 estudantes. Em todo o País, 800 mil alunos são atendidos pelo programa de inclusão social do Ministério do Esporte.

Parcerias locais - Para superar as dificuldades e estruturar os núcleos que sequer tinham sede própria, as três cidades do Tocantins contaram com o apoio e solidariedade da comunidade, de escolas municipais e estaduais da Associação de Pais e Alunos de Excepcionais (Apae) e de Ongs como a Padre Luso. Os parceiros locais vestiram literalmente a camisa do Segundo Tempo cedendo salas de aulas e liberando assistentes sociais para que o programa desenvolva suas atividades.

O compromisso social também permitiu aos núcleos em Palmas, Lageado e Porto Nacional outros diferenciais. O Sesi - Serviço Nacional da Indústria assegurou a doação de instrumentos musicais para a banda de música, que conta com a participação de deficientes auditivos e visuais. Outra novidade é a aula de informática que começa a funcionar no próximo dia três de fevereiro. Já oficina de artesanato é outra atividade extracurricular implantada em Porto Nacional e Lageado que em breve será implantada em Palmas.

Carla Belizária


  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: