Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias


13/12/2004 às 19:09 - Crianças do Segundo Tempo participam de campeonato de Karatê  

Brasília 13/12/2004 (Ascom/ME) - Crianças pobres da cidade satélite do Paranoá e das Invasões Fazendinha, Itapuã e Del Lago, em Brasília, conseguiram as melhores colocações no Campeonato Brasileiro de Karatê-Dô Protector. Promovida pela Confederação Brasileira da modalidade, a competição nacional reuniu no último fim de semana cerca de 300 atletas do País, no Clube de Subtenentes e Sargentos do Corpo de Bombeiros do DF.

O Ministro do Esporte, Agnelo Queiroz, avaliou que os resultados das competições são a prova de que o programa de inclusão social do Ministério do Esporte caminha no rumo certo. Entre os resultados positivos do Segundo Tempo está a detecção de talentos para o esporte, mesmo se tratando de um programa de inclusão social.

Oito caratecas atendidos no núcleo Segundo Tempo/Resgate da Vida - Ong parceira do Ministério do Esporte - subiram ao pódio. Leonardo Nascimento, 11 anos, sagrou-se campeão (mirim-A catá e jukumitê), Brenda Caroline, 8 anos, foi campeã e vice (mirim-A catá e jukumitê). Os estudantes Pierre Freire, 11 anos e Pedro Henrique Antunes, 13 anos, também conquistaram o vice-campeonato nas categorias estreante e infanto-juvenil (catá e jukumitê).

Na categoria acima de 18 anos, Celso Pereira ficou em primeiro lugar (gran-master catá e jukumitê), Juliana Gomes foi a campeã no catá e terceira colocada no jukumitê (adulto-A). O segundo lugar na categoria adulto (60 a 69 quilos) no jukumitê ficou com Hermano Augusto Júnior. Já o presidente da Ong Resgate da Vida, Manoel Cardoso, foi vice na categoria master (catá e jukumitê).

O carateca Damião Silva Martins Júnior foi um destaque à parte na competição. O primeiro lugar (juvenil B catá e jukumitê) fez com que o atleta de 17 anos repetisse a proeza de ser oito vezes campeão brasileiro, nas oito edições nacionais que disputou.

Este ano, a competição foi mais criteriosa, exigindo alto índice de aproveitamento técnico. Os atletas disputaram 155 categorias - de mirim a grand-master - divididos por idade e graduação. Participaram somente caratecas de nível mais alto, ou seja, os faixas laranja, verde, roxo, marrom e preto.

Além de promover a defesa pessoal, o karatê-do protector é uma modalidade que tem como prioridade a manutenção da integridade física dos atletas. Por esse motivo os atletas utilizam protetores de cabeça, tórax e boca durante os combates.

Segundo Tempo - Os 400 alunos atendidos no núcleo contemplados na parceria Segundo Tempo/Resgate da Vida contam ainda com aulas de capoeira, vôlei, futebol e basquete. Música, artesanato e orientação sexual são atividades extracurriculares. Além do esporte, os estudantes recebem gratuitamente do Ministério do Esporte alimentação, reforço escolar, uniforme e material esportivo, em horário oposto ao que estudam. No Brasil, o programa contempla 800 mil alunos dos ensinos fundamental e médio. Em Brasília e no Entorno são atendidos 27 mil jovens.

Grande parte dos jovens da Resgate da Vida apresentava auto-estima baixa, em decorrência de problemas vivenciados diariamente em casa: irmãos cumprindo pena em presídio, casos de alcoolismo na família, uso de drogas, violência física entre pais e até mesmo casos de assassinato entre parentes. “Era uma juventude onde alguns tinham passagens pelo Conselho Tutelar. Estavam à beira da criminalidade porque tinham o exemplo dentro de casa”, explica Manoel Cardoso Magalhães, diretor da Ong e tetracampeão brasileiro de karatê projetor.

Carla Belizária


  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: