Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias


13/08/2004 às 11:26 - Segundo Tempo atende alunos no Pantanal  

Brasília 13/08/2004 (Ascom/ME) - Cuiabá registrou nas férias de julho, a maior participação de estudantes, inclusive deficientes físicos, em busca das atividades físicas promovidas pelo programa Segundo Tempo. No período conhecido como época de menor demanda, quando as escolas dos ensinos fundamental e médio estão em recesso, o programa do Ministério do Esporte em parceria com a Secretaria Estadual de Esporte e Lazer do Mato Grosso funcionou a todo vapor. Contempla 4.200 crianças e jovens, sendo 200 na capital e 4 mil em 37 municípios, incluindo comunidades de difícil acesso e de vulnerabilidade social, como as regiões indígenas, do garimpo e pesqueiras no Pantanal.

O Segundo Tempo funciona em Cuiabá no espaço físico da Prefeitura Municipal. Entre os 200 jovens atendidos oito são deficientes físicos. Para o coordenador do programa, Newton Geraldo Fiorenza, esse pode não ser um número grande de pessoas com limitações se comparado a grande maioria beneficiada.“Mas é significativo quando se trata da conscientização e do interesse de jovens, fato que reforça a importância que o esporte exerce na vida de cada um”, justifica.

Parcerias importantes como as das secretarias municipais de Esporte, Saúde, Educação, Cultura, Segurança, Meio Ambiente e de Ação Social têm contribuído para o trabalho de inclusão social. É feito, por exemplo, o acompanhamento de cada jovem. Nesse caso, o trabalho é desenvolvido por funcionários da Secretaria de Ação Social que visitam os pais dos estudantes para saber o motivo da não freqüência dos filhos à escola.

Durante as segundas, quartas e sextas-feiras, os meninos praticam vôlei, futebol, basquete, futsal, handebol, atletismo e natação. As atividades acontecem no período oposto ao turno escolar: de 8h às 11 e de 14h30 às 17h30. Além da prática esportiva, recebem do programa, reforço escolar, uniforme, bolas e material didático.

O Ministério do Esporte assegura ainda, um coordenador (professor de Educação Física) e quatro monitores (estagiários) para o acompanhamento das atividades esportivas. Capoeira, oficinas de artesanato, palestras sobre sexualidade, noções de saúde e higiene, além de aulas de espanhol são atividades extracurriculares oferecidas pelos parceiros.

Pantanal Mato-grossense - Para serem contempladas com o Programa Segundo Tempo, as cidades e comunidades foram submetidas a uma pesquisa para identificar as que apresentavam grande incidência de crianças em situação de risco. Porto Estrela e Jangada estavam com índice de desenvolvimento humano baixo e foram escolhidas. Hortelândia e Poconé passaram no critério porque ficam na região do garimpo e tinham quadro negativo de vida ociosa, com grande incidência de alcoolismo.

A dificuldade de acesso ao esporte, educação, saúde e cultura devido a sua localização, na região indígena, permitiu o benefício do segundo Tempo à cidade de Luciara. Barão de Melgaço e Santo Antônio de Leverger vivem da pesca e ficam dentro do Pantanal onde enfrentam problema da ociosidade durante seis meses a cada ano. Ocorre na piracema, período da desova dos peixes quando a atividade de pescaria é proibida por lei. “São locais que sofrem com a precariedade em todos os sentidos, e graças à ação de programas de inclusão social do Governo Federal, garantimos aos jovens a expectativa de um futuro melhor”, revela Fiorenza.

Carla Belizária


  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: