Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias


26/07/2004 às 13:15 - Moradores do Varjão celebram programa Segundo Tempo  

Brasília, 26/07/2004 (Ascom/ME) – “Somente através do Programa Segundo Tempo, um pobre de verdade consegue esporte para os filhos, com uma equipe de professores capacitada, numa infra-estrutura esportiva de primeira qualidade, com alimentação, uniforme, reforço escolar de graça”, afirmou a telefonista, Andréa Lopes, mãe de dois adolescentes que participam do projeto.

Desempregada há quase três anos, a moradora do Varjão foi uma dos 800 moradores que marcaram presença no lançamento do programa, no último sábado (24/07), no clube da Apcef - Associação do Pessoal da Caixa Econômica Federal.

A pareceria do Ministério do Esporte e a Galera dos Matutos, uma associação local que desenvolve atividades de teatro e dança, contempla, a partir de hoje (26/07), 400 estudantes carentes dos ensinos fundamental e médio.

Em clima de festa, o evento aberto pelo ministro do Esporte, Agnelo Queiroz, teve como marca registrada a alegria, estampada nos rosto de crianças, jovens e pais comtemplados pelo programa. “O Hino Nacional foi cantado de forma exemplar, em voz alta e com peito estufado pela meninada”, elogiou orgulhoso, Agnelo Queiroz.

Para o presidente da Galera dos Matutos, Abidenaldo Batista Gama (Bidé), o Segundo Tempo marca uma etapa de melhoria na vida dos moradores. “Sequer utilizamos carro de som para convidar a comunidade para o lançamento do programa. A necessidade de mudança fez com que nossos moradores lotassem os mais de oito ônibus e viessem festejar a chegada desse grande benefício”, explicou o popular Bidé, como é conhecido.

“A marginalidade no Varjão é muito grande. Com a chegada do Segundo Tempo terei mais tranqüilidade pois meu filho não vai crescer nas ruas e terá um futuro melhor”, comemorou a monitora de creche desempregada, Socorro Pereira.

Para Lucileide Silva, empregada doméstica moradora do Varjão há 16 anos, as atividades esportivas do programa não permitem que a filha Bianca, 7 anos, conviva com o mundo das drogas. ”Estávamos em estado de abandono. Graças ao presidente Lula e ao ministro Agnelo Queiroz nossos jovens foram lembrados”, vibrou.

O Segundo Tempo chegou em boa hora para os primos Gustavo e Rafael Leal, porque ambos não sabem nadar. “No Varjão não existe piscina. O Lago Paranoá é o único lugar onde a gente poderia mergulhar e, mesmo assim, nossa mãe não deixa”, revelaram.

Com 12 anos de idade, os estudantes do Centro de Ensino do Lago Norte (Celan) não conseguiram disfarçar a emoção em poder praticar vôlei e principalmente, a natação. “Quem sabe a gente mais tarde não seja um atleta da seleção brasileira”, sonham.

“O Segundo Tempo é maravilhoso porque ocupa com esporte, alimentação e reforço escolar as crianças que ficavam a toa, sem ter o que fazer”, afirmou a tia de Rafael, Tereza Cristina.

Os jovens poderão utilizar todas as instalações esportivas do Clube Apcef, durante as segundas, quartas e sextas-feiras, cerca de 50 crianças por visita. Para a prática do vôlei, basquete, natação, futebol de campo e salão são oferecidas quatro quadras poliesportivas e duas piscinas para as aulas de natação.

O Ministério do Esporte assegura, aos alunos, em horário oposto ao turno escolar, alimentação, material esportivo, reforço escolar e noções de saúde e higiene. Para o acompanhamento das atividades, disponibiliza um coordenador de núcleo (professor de Educação Física) e quatro monitores.

Segundo presidente da Apcef, Ismael Artur Galeazzi, o clube vai oferecer curso de informática como atividade extracurricular do Segundo Tempo e aproveitar os estudantes que mais apresentarem desempenho esportivo para integrar as equipes do clube.

Carla Belizária


  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: