Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias


13/10/2003 às 19:28 - Brasil vai exportar experiência do Segundo Tempo para o Paraguai  

O Brasil vai colaborar com o Paraguai na implantação de programas como o "Pintando a Liberdade" e o "Segundo Tempo", lançado recentemente pelo governo e que garante reforço escolar, alimentação e inclusão social de crianças carentes, de 7 a 17 anos, por meio de atividades esportivas nas escolas, clubes,quartéis e entidades como o Sesc. O acordo, que inclui diversas modalidades esportivas, foi assinado hoje, em Brasília, pelos ministros Agnaldo Queiroz e Federico Frutos, do Paraguai. O objetivo é fortalecer a colaboração e ampliar o intercâmbio em matéria de desenvolvimento e busca de excelência no esporte.

Segundo Frutos, que é também presidente do Conselho Nacional de Desportos do Paraguai, o acordo permitirá que os atletas de seu país se preparem melhor para as competições esportivas, além de fortalecer ainda mais os laços de amizade entre Brasil e Paraguai. Para Agnelo Queiroz, o acordo possibilitará o desenvolvimento do esporte social e de alto rendimento nos dois países e maior integração entre as equipes. "Vamos elaborar um plano para as equipes brasileiras e paraguaias em eventos internacionais. A nossa proximidade, levando em conta que somos vizinhos, facilita muito o trabalho conjunto", afirmou. De acordo com o ministro, se o fortalecimento do Mercosul é fundamental, como tem destacado o presidente Lula, não poderia ser diferente com o esporte, que é o símbolo da integração entre os povos.

Pelo acordo assinado, os governos do Brasil e do Paraguai vão incentivar e promover o intercâmbio de programas, experiências, habilidades, técnicas, informação, documentação e conhecimento para o desenvolvimento das diversas áreas de cooperação, destinadas à capacitação e atualização de professores de educação física, treinadores, técnicos do esporte, especialistas em medicina esportiva e outras ciências afins. Entre essas áreas estão o esporte para portadores de necessidades especiais, a mulher no esporte e administração esportiva.

Durante a cerimônia, Frutos recebeu de Agnelo uma bolsa esportiva, uma camiseta e bolas - uma de futsal, uma de vôlei, uma de basquete e uma especial para cegos (bolas com guizo) - que são produzidas por presos, por meio do programa "Pintando a Liberdade". Em parceria com o Ministério da Justiça, o programa mantém atualmente 53 unidades de produção em 25 estados e no Distrito Federal e emprega mão-de-obra direta de 12.700 detentos, que produzem, também, mochilas, redes, raquetes de tênis de mesa, bandeiras e uniformes. As bolas são distribuídas atualmente para diversos países, entre eles Inglaterra, Japão, Itália, Alemanha, China, Estados Unidos, Portugal, Canadá e França.

Lima Rodrigues
Repórter da Agência Brasil


  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: