Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias


16/07/2013 às 08:00 - Alunos do Segundo Tempo/Forças no Esporte sonham em subir ao pódio do tênis  

Desde o lançamento, em 2003, até o fim de 2012, mais de seis milhões de crianças e adolescentes expostos aos riscos sociais foram incentivados a praticar esportes. A motivação, focada na inclusão social, veio do Programa Segundo Tempo (PST). Para o desenvolvimento do projeto, o Ministério do Esporte firmou convênios com governos estaduais, municipais e federal. Desenvolvido em parceria com o Ministério da Defesa, o PST oferece cidadania enquanto busca talentos entre estudantes pobres num esporte considerado de elite: o tênis.

A parceria recebe o nome de Segundo Tempo/Forças no Esporte e beneficia 15 mil alunos da rede pública. Eles praticam diversas modalidades em quartéis da Marinha, do Exército e da Aeronáutica. Mas é no Distrito Federal, no Grupamento dos Fuzileiros Navais de Brasília, que 300 alunos aproveitam a oportunidade para se desenvolver no tênis. Os alunos treinam para subir ao pódio e embalam o sonho de ser um atleta de alto rendimento. Bruno Marques, 13 anos é um deles.

Considerado uma promessa, com excelente nível técnico, o estudante da 7ª série mora com o pai motorista particular e a mãe funcionária de padaria no Varjão, área com problemas de violência urbana no Distrito Federal. O garoto foi o primeiro a praticar tênis no grupamento. Treina há menos de um ano e já foi campeão por duas vezes. No mês de março, Bruno venceu pela categoria iniciante o torneio de aniversário do Clube Naval, disputando com 11 tenistas. No ano passado, repetiu o feito na competição alusiva ao Dia do Marinheiro.


No torneio Batalha Naval Riachuelo, em junho último, enquanto Bruno perdia na segunda rodada, abria espaço para Leonardo Pinheiro, 15 anos, outro estudante do PST, que foi o campeão na categoria “C” e vice nas duplas, jogando ao lado de um ex-aluno do PST, Gabriel Dias, 16.

Nessa mesma competição, estreava Samuel do Nascimento. Ele chegou à semifinal na categoria iniciante. “Samuel é forte concorrente na quadra, tem potencial esportivo e está decidido a seguir no esporte”, avaliaram Antônio Carlos de Oliveira e Francisco José da Silva Souza, que realizam o treinamento dos alunos. O núcleo do PST/Forças no Esporte é coordenado pelo suboficial Paulo Roberto Ribeiro de Faro, no grupamento sob o comando do capitão-de-mar-e-guerra, Athila de Oliveira Faria.

Potencial
O morador do Paranoá Paulo André Saraiva dos Santos, que era favorito na categoria simples no torneio Batalha Naval Riachuelo, perdeu na semifinal, no supertie-break. Filho do pedreiro Ademar e da diarista Jandilma, o garoto precisou viajar por causa de problemas familiares, uma semana antes do jogo. O fato influenciou em seu desempenho.

Mas a derrota não o desanimou. Agora o garoto de 13 anos está determinado a levar adiante o sonho de seguir carreira como tenista profissional. Ele cursa a  7ª serie no Centro de Ensino Educacional do Lago Norte (Cedilan), tem como ídolos Gustavo "Guga" Kuerten e Roger Federer e já é um atleta federado. “Vou participar do Aberto de Tênis, no dia 27 deste mês, no Clube do Exército de Brasília”, informa, orgulhoso.

Carla Belizária
Fotos; Ivo Lima
Ascom – Ministério do Esporte

Acompanhe as notícias do Ministério do Esporte no Twitter e no Facebook


  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: