Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias


26/04/2011 às 12h00 - Pelc valoriza tradição indígena para resgate da cultura Terena


Os índios semi-urbanos da etnia Terena que habitavam as terras indígenas Pilad Rebua, Cachoerinha e Lalima, em Miranda, no oeste de Mato Grosso do Sul, e que hoje vivem numa reserva denominada Aldeia Moreira, próxima 330 km Campo Grande, capital do Estado, poderão resgatar suas raízes. A partir de agora, eles terão no Programa Esporte e Lazer da Cidade (Pelc-Indígena), do Ministério do Esporte, um instrumento de convivência grupal no qual o lazer, de caráter diferenciado, utilizará a vivência de atividades tradicionais no combate à influência da cultura não índia.

“A ação apresenta o lazer com formato diferente, adaptado de acordo com a realidade nativa”, informa Rejane Penna Rodrigues, secretária nacional de Desenvolvimento do Esporte e do Lazer. Ela lembra que o nome lazer foi criado no século XVIII, durante a Revolução Industrial, direcionado à classe trabalhadora para dividir o período de trabalho e o de folga. Ela explica que para os índios, lazer significa brincar, jogar e celebrar. Por isso o Pelc será ajustado.

Na prática, o Pelc Indígena se propõe a colaborar com a manutenção da identidade Terena. Para tanto, todas as atividades serão comandadas pela figura mítica desse povo denominada de Yunakalû. Sete vezes por semana eles irão praticar as mesmas atividades realizadas por seus ancestrais ao longo da existência. Entre os costumes estão: cabo de força, arco e flecha, corridas de revezamento e de tora e jogo de paciência sîni x tamukû (onça contra o cachorro).

Serão 4,5 mil beneficiados entre crianças, adolescentes, adultos e idosos indígenas. Sendo 2 mil índios nativos e 2,5 mil descendentes e moradores dos arredores da região. Além de interagir, a ação tem caráter de ensino, conhecimento e respeito principalmente para os não índios.

Palestras sobre a saúde da mulher indígena e cuidados com alimentação integram a programação. Os indígenas poderão ainda participar de oficinas de dança, música, artesanato e culinária Terena. O programa é um convênio do Ministério do Esporte com a organização não governamental Articulação dos Povos Indígenas do Pantanal (Arpipan).



Carla Belizária
Foto: Francisco Medeiros
Legenda: Índios Terena disputam cabo de força
Ascom – Ministério do Esporte