Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias

 

18/08/2011 às 20h22 - Ministro conhece nesta sexta-feira o Plano Geral Urbanístico do Parque Olímpico Rio 2016  

O ministro do Esporte, Orlando Silva, participa nesta sexta-feira (19.08), no Rio de Janeiro, do anúncio do resultado do Concurso Internacional para o Plano Geral Urbanístico do Parque Olímpico Rio 2016. Com área de 1.180.000 metros quadrados, o parque será o coração dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos do Rio de Janeiro. Depois, fará parte do Centro Olímpico de Treinamento (COT), que será implementado pelo Ministério do Esporte em duas regiões da cidade.

A cerimônia está marcada para as 9h30, no Parque Aquático Maria Lenk, em Jacarepaguá, com a presença do prefeito do Rio, Eduardo Paes, da secretária estadual de Esportes, Márcia Lins, do presidente da Autoridade Pública Olímpica (APO), Márcio Fortes, e do presidente do Instituto dos Arquitetos do Brasil, Sérgio Magalhães.

O parque abrigará instalações esportivas e não-esportivas, que ficarão como legado para a cidade do Rio de Janeiro. Nele poderão ser disputadas 15 modalidades olímpicas (basquete, judô, taekwondo, lutas, handebol, hóquei sobre a grama, tênis, ciclismo, saltos ornamentais, polo aquático, natação, nado sincronizado, ginástica artística, ginástica rítmica e ginástica de trampolim) e 11 paraolímpicas (basquete em cadeira de rodas, rúgbi em cadeira de rodas, bocha, judô, voleibol sentado, goalball, futebol de 5, futebol de 7, tênis em cadeira de rodas, ciclismo e natação).

O plano urbanístico contemplará dois cenários: Jogos Olímpicos e legado. No primeiro, assegurará as melhores condições para a realização e operacionalização da competição esportiva; no segundo, garantirá a viabilidade da implantação dos novos empreendimentos de forma sustentável. Assim, depois dos Jogos, os equipamentos esportivos e as novas construções formarão uma área que será referência de planejamento e sustentabilidade para a cidade.

Centro de Treinamento
Os novos equipamentos esportivos estarão concentrados em torno dos já existentes, como Parque Aquático Maria Lenk, Velódromo e Arena do Rio. Depois das Olimpíadas, essas construções farão parte do COT, que funcionará como centro de treinamento para atletas de altíssima performance, local para intercâmbio dos esportes olímpicos e paraolímpicos e também de competições.

O COT será construído pelo Ministério do Esporte e terá a maior parte de suas instalações na Barra da Tijuca, mas também funcionará em Deodoro, no Complexo Esportivo e no futuro Parque Radical. O COT será um dos expoentes da Rede Nacional de Treinamento, programa recém-criado pelo Ministério do Esporte com o objetivo de transformar o Brasil em potência esportiva. O programa interligará estruturas de treinamento de todo o País que venham a aderir à nova política de desenvolvimento do esporte de alto rendimento.

Concurso
Primeiro concurso urbanístico internacional realizado no Brasil, a disputa foi coordenada pela Empresa Olímpica Municipal, da prefeitura carioca, em parceria com o IAB. Reuniu trabalhos de 60 escritórios de 18 países. O júri de sete integrantes foi formado por representantes do governo federal, prefeitura do Rio de Janeiro, Comitê Rio 2016, União Internacional de Arquitetos e IAB.

A equipe vencedora receberá um prêmio de R$ 100 mil e desenvolverá os projetos de desenho urbano para todas as áreas públicas do Parque Olímpico, a volumetria e a localização das instalações que serão implantadas, além das diretrizes para a transição da fase Jogos para a fase legado.

Ascom – Ministério do Esporte
Ascom – Empresa Olímpica Municipal
Acompanhe as notícias do Ministério do Esporte no Twitter e no Facebook

  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: