Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias

 

11/03/2011 às 16h00 - Rádio Esporte - Ministério do Esporte cria Sistema Nacional de Análise e Avaliação de Modalidades  




Novo sistema vai permitir um diagnóstico detalhado da gestão de entidades esportivas que recebem recursos públicos, diz Ricardo Leyser


LOC/REPÓRTER: A partir de agora, as confederações e comitês olímpicos e paraolímpicos brasileiros, que recebem recursos do governo federal, vão passar a ter um contrato de gestão, estabelecendo compromissos e metas de médio e longo prazo. Esse planejamento faz parte de uma ferramenta – o Sistema Nacional de Análise e Avaliação de Modalidades - desenvolvida pela Secretaria Nacional de Alto Rendimento do Ministério do Esporte. O secretário Ricardo Leyser explica como vai funcionar esse novo sistema.


TEC/SONORA: secretário nacional de Esporte de Alto Rendimento - Ricardo Leyser


“Nós já testamos com esse sistema com algumas confederações e fizemos um aperfeiçoamento. Agora, estamos aplicando para valer os questionários nos principais esportes brasileiros. Esse sistema de avaliação, vai dar ao Ministério uma visão ampla sobre a condição da gestão dessas entidades de esporte que recebem recursos públicos, tanto no tocante a governança, quanto no quesito da gestão esportiva propriamente dita. Então, é uma ferramenta muito moderna, que está sendo utilizada, e que nós acreditamos que poderá transformar a gestão das entidades, em médio prazo.”


LOC/REPÓRTER: Ricardo Leyser disse que, até agora, oito confederações já começaram o processo de avaliação, aplicando o modelo proposto pelo Ministério do Esporte: Canoagem, Esportes na Neve, Golfe, Boxe, Rugbi, Ginástica, Tênis de Mesa e Atletismo. Ele comenta que esse é o primeiro ano de funcionamento do sistema e reconhece a necessidade de aperfeiçoamento.


TEC/SONORA: secretário nacional de Esporte de Alto Rendimento - Ricardo Leyser


“Nós já estamos aplicando. Mas esse é o primeiro ano. Digamos que é uma operação assistida, uma operação que essa interação com as entidades pode nos trazer contribuições. Então, ela só vai se tornar obrigatória, quando nós julgarmos que realmente esgotamos, com todas as confederações, todas as sugestões, já tivermos um histórico de melhorias. Quer dizer, é preciso ter um histórico para que você possa realmente afirma que o sistema já está consolidado.”


LOC/REPÓRTER: O secretário Nacional de Esporte de Alto Rendimento, Ricardo Leyser, acrescentou, ainda, que essas avaliações são feitas em conjunto com as confederações. As entidades se reúnem, fazem questionamentos, dão sugestões sobre o sistema que está sendo implantado, discutem os critérios analisados e outros fatores que possam melhorar o desempenho dos gestores do esporte e dos atletas brasileiros.


  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: