Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias

 

20/09/2010 às 15h40 - MP qualifica esporte de alto rendimento para Rio 2016  

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou nesta segunda-feira (20/09), ao lado do ministro do Esporte, Orlando Silva, uma medida provisória (MP) que promove ações de qualificação do esporte de alto rendimento. O objetivo é transformar o Brasil em uma potência esportiva até os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016.

A MP, que prevê mudanças no repasse da Lei Agnelo/Piva, cria o programa Cidade Esportiva, novas categorias para o Programa Bolsa-Atleta e a Rede Nacional de Treinamento. “Esse é o ponto de partida para a preparação da delegação brasileira para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016”, destacou o ministro Orlando Silva.

Para melhorar o desenvolvimento dos atletas brasileiros, o Bolsa-Atleta ganha duas categorias: Atleta Pódio e Esporte de Base. Segundo Orlando Silva, o Atleta Pódio tem o objetivo de oferecer um suporte melhor para os esportistas com chances reais de disputar finais e conquistar medalhas em 2016. Dessa maneira, com uma equipe multiprofissional assessorando o atleta, poderemos melhorar os resultados.

O ministro explica também os novos critérios de repasses de recursos da lei Agnelo-Piva. “A MP cria o contrato de gestão que estabelece as diretrizes, os objetivos e as metas para um ciclo olímpico e estabelece o volume de recursos necessários. Esse contrato é assinado entre governo federal, COB, CPB e as entidades, de modo que a população possa acompanhar a preparação e os investimentos nos nossos atletas.”

O presidente Lula falou da importância do apoio federal à formação de atletas profissionais. “Esses meninos que ganham medalhas de ouro, esses meninos que disputam, que vão a Cingapura, todas essas pessoas poderiam fazer muito mais se tivessem, da parte do Estado brasileiro, a compreensão de que atleta não é apenas a sorte que cria. A natureza cria o talento, ele tem que ser aperfeiçoado; e quem o aperfeiçoa são, na verdade, os clubes, se tiver; se não tiver clube, os patrocinadores, se tiver; se não tiver nada disso, é o Estado brasileiro que tem que assumir responsabilidade e cuidar do potencial de atleta que têm as nossas meninas e os nossos meninos.”

Silva acrescentou que os investimentos no esporte brasileiro têm que ser triplicados para nos tornar uma potência olímpica. “No último ciclo de Pequim, o esporte brasileiro recebeu cerca de 300 milhões de dólares. Nós achamos que é necessário multiplicar por três vezes pelo menos o volume de recursos para preparar os atletas. Assim teríamos os mesmos recursos de potências olímpicas como Inglaterra, China e Austrália”, disse.

Outras ações também foram anunciadas durante a cerimônia para apoiar a preparação dos atletas brasileiros para a disputa dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016. Entre elas, é a reestruturação da Secretaria Nacional de Esporte de Alto Rendimento para atuar por modalidades.

As ações lançadas pelo governo federal fazem parte de um planejamento estratégico do esporte de alto rendimento, chamado de Diretrizes da Secretaria Nacional do Esporte de Alto Rendimento 2009-2010. O plano prevê melhorias na gestão, metas, ciência e tecnologia e profissionalização do desporto.

Conheça as ações anunciadas hoje no Palácio do Planalto:

- Mudanças no repasse da Lei Agnelo-Piva

- Mudanças no Bolsa-Atleta

- Atleta Pódio

- Cidades Esportivas

- Reestruturação da Secretaria Nacional de Alto Rendimento


Foto: Everton Kebek
Ascom - Ministério do Esporte

  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: