Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias

 

23/11/2009 às 15h02 - Instalação do Rio 2016 recebe Final do Brasileiro de Tiro a partir desta sexta  

Competição se realiza em Deodoro, e, pela primeira vez, as provas de bala e prato ocorrerão simultaneamente

O Centro Nacional de Tiro Esportivo Tenente Guilherme Paraense (CNTE), localizado no Complexo Esportivo de Deodoro, instalação dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016, recebe, de 27 a 29 de novembro, a 10ª e última etapa do Campeonato Brasileiro de Tiro Esportivo 2009 nas categorias masculina e feminina. O evento é o 63º realizado no Complexo Esportivo de Deodoro depois do Pan e do Parapan Rio 2007, para os quais foi erguido com investimento do Ministério do Esporte.

Com 50 mil metros quadrados de área construída, o Centro Nacional de Tiro Esportivo sediou, em 2008, a Copa do Mundo da modalidade. Sua concepção arquitetônica ambientalmente sustentável e a harmonia visual que mantém com os outros centros adjacentes, de Hipismo, Hóquei sobre Grama e Pentatlo Moderno, resultaram em indicações a prêmios para o Complexo Esportivo de Deodoro, como na VI Bienal Iberoamericana de Arquitetura e Urbanismo (BIAU), realizada em 2008. Composto de quatro estandes para provas de bala – 10 metros, 25 metros, 50 metros e finais – e um para tiro ao prato, o CNTE é referência na América Latina.

“Nesta final do Brasileiro, será a primeira vez em que provas conjuntas de bala e prato serão realizadas simultaneamente e no mesmo local, graças à estrutura disponível no Centro”, comenta o vice-presidente da Confederação Brasileira de Tiro Esportivo (CBTE), coronel Ronaldo Silva Freire. Durante os três dias de competição, serão disputadas mais de dez modalidades de tiro com bala e ao prato.

Entre os destaques do ranking nacional das modalidades, estão Júlio Almeida, prata no Pan 2007, e Stenio Yamamoto, prata em etapa de 2007 da Copa do Mundo de Tiro Esportivo. Ana Luiz Vieira de Mello, José Rafael Genco, José Iengo, Aliseu Faria, Roberta Almeida, Samuel Lopes e Rosane Ewald completam a lista das primeiras posições no tiro com bala e, no tiro ao prato, Eduardo Rucian Correa, Janice Teixeira, Luiz Fernando Graça, Marlene Landucci, Renato Portela e Daniela Carraro encabeçam os rankings por modalidade.

Tiro obtém apoio federal
Nos últimos anos, “o Ministério do Esporte vem colaborando decisivamente com o desenvolvimento do tiro esportivo no Brasil”, explica Ricardo Leyser, secretário de Alto Rendimento do Ministério. Para ele, “uma das principais contribuições foi a construção do Complexo Esportivo de Deodoro, com sua moderna instalação de tiro, o que propiciou que lá se realizassem dezenas de eventos de tiro esportivo desde a realização dos Jogos Pan-americanos de 2007”. O Ministério também arca com o custeio de todas as instalações do local, incluindo as do tiro, com recursos que são repassados ao Ministério da Defesa, gestor do complexo, para despesas de água, energia, limpeza e manutenção. Para 2008, foram R$ 990 mil. Para 2009, 751.343.000,00.

Também foi o Ministério que pagou os equipamentos da modalidade na época do Pan e os deixou à disposição da confederação para treinamento de atletas e equipes e para a realização de competições. Outra forma de apoio é o repasse pontual de recursos para a participação da delegação brasileira em eventos do tiro, ou ainda para a realização de eventos.

Em 2008, um convênio celebrado com a CBTE, no valor de R$ 299.397,35, ajudou a subsidiar a participação da delegação brasileira masculina e feminina em duas competições de âmbito internacional. Uma, o Campeonato Sul-americano e outra a Copa do Mundo de Tiro Esportivo. Outro convênio, para a Copa Continental Americana no Brasil, teve recursos de R$ 48 mil do Ministério, em julho de 2009.

Outra forma de apoio do governo federal ao tiro chega por meio dos recursos da Lei Agnelo-Piva, que repassa uma parte da arrecadação das loterias da Caixa ao Comitê Olímpico Brasileiro, que por sua vez os distribui entre as confederações de esportes olímpicos, entre elas a CBTE.

Há ainda a concessão de bolsas do programa Bolsa-Atleta, do Ministério do Esporte, a praticantes do tiro. No período 2008/2009, foram beneficiados 44 atletas em duas categorias de bolsa: Nacional e Internacional. Para 2009/2010, houve 65 solicitações que estão em análise no Ministério, sendo que duas são para bolsa na categoria Olímpica.

Além disso, a Comissão Técnica da Lei de Incentivo aprovou cinco projetos da confederação para captação de recursos no mercado. Todos já publicados no Diário Oficial da União. Um deles, de R$ 1.947.284,90, tem por objetivo o funcionamento das atividades no Centro Nacional de Tiro Esportivo Tenente Guilherme Paraense, em Deodoro. Outro, de R$ 1.312.350,00, se destina ao acompanhamento da equipe olímpica de tiro ao prato. Outro valor, de R$ 1.142.112,55, objetiva o acompanhamento da equipe olímpica de tiro a bala. E outro, de R$ 806.650,00, busca recursos para suporte técnico à CBTE no Rio de Janeiro.

Por fim, um projeto de R$ 5.822.310,00, embora também aprovado pela Comissão, está aguardando envio de documentação por parte da CBTE para a publicação. Este tem como objetivo desenvolver ações de descoberta de talentos no tiro.

Público pode participar
A entrada para o Campeonato Brasileiro de Tiro Esportivo é gratuita.
Na sexta (27) e no sábado (28), as provas começam às 9 horas e terminam às 16h. No domingo (29), quando saem os resultados finais, vão de 9h às 13h.
O endereço do Centro Nacional de Tiro Esportivo Tenente Guilherme Paraense é Avenida Brasil, 27194, após a passarela 32.
Pode-se chegar ao CNTE pelas estações de trem Vila Militar ou Magalhães Bastos, próximas ao local do evento, ou pelas linhas de ônibus 301 (Centro – Deodoro), 386 (Centro – Anchieta) e 715 (Realengo – Deodoro).

Priscila Novaes
Ascom - Ministério do Esporte

  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: