Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias

 

19/08/2013 às 21h45 - Comitê dos Jogos Rio 2016 lança Plano de Gestão de Sustentabilidade  

Jogos azuis. É com essa filosofia que o maior evento esportivo do mundo será recebido no Rio de Janeiro daqui a três anos. Com uma submarca que revela sobre um fundo azulado a frase “Rio 2016 abraça a sustentabilidade”, o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e dos Jogos Paraolímpicos, junto com os governos federal, estadual e municipal, lançou oficialmente nesta segunda-feira (19) o Plano de Gestão de Sustentabilidade Rio 2016.

A solenidade de apresentação do Plano, na sede do Comitê Organizador, foi marcada pela assinatura de acordo de cooperação técnica do Rio 2016 com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), entidade da ONU responsável por promover a conservação do meio ambiente e o uso eficiente de recursos no contexto do desenvolvimento sustentável.

A partir do acordo, o objetivo do PNUMA é acompanhar e revisar as decisões para o desenvolvimento e implantação gradativos do Plano. A entidade da ONU é atuante junto ao Comitê Olímpico Internacional (COI), que instituiu desde o final do século passado o tema da sustentabilidade como um dos pilares do maior evento esportivo do planeta. “Nossa função será sugerir e, para isso, queremos também o envolvimento da população, para que traga contribuições para o legado dos Jogos”, explicou a diretora do PNUMA no Brasil, Denise Hamú.

Para o próximo mês de setembro, estão previstas rodadas do Comitê Organizador com parceiros comerciais dos Jogos sobre o Plano. Logo depois, entre os meses de outubro e novembro, o PNUMA organizará oficinas com a sociedade civil. Após as interlocuções, uma nova versão do documento está prevista para ser apresentada em 2014. Mas, ainda assim, novas mudanças ainda poderão surgir e serão bem-vindas, a partir do engajamento da população.

Até o final deste ano, o Rio 2016 divulgará também um relatório de impactos ambientais que vem sendo feito pelo Instituto de Pós-graduação e Pesquisa em Engenharia (Coppe) da Universidade Federal do Rio de Janeiro. O estudo apontará dados e previsões para um período de 12 anos compreendido entre 2007 e 2019.

“O esporte pode e deve desempenhar um papel de liderança na promoção de um mundo mais sustentável. Desde a Conferência Rio 1992, a preocupação do Movimento Olímpico com as questões ambientais é crescente. Em 1996, uma modificação na Carta Olímpica reconheceu o meio ambiente como terceiro pilar do Olimpismo e, em 1999,o COI produziu a Agenda 21 do Movimento Olímpico, que define políticas associadas ao esporte”, disse o Presidente do Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman.

O Plano
O Plano de Gestão de Sustentabilidade Rio 2016 (disponível no link www.rio2016.org.br/sustentabilidade) contempla as normas ABNT e ISO e foi elaborado com a participação conjunta do Comitê Organizador e dos governos federal, estadual e municipal. Previsto no Dossiê de Candidatura Rio 2016 e orientado pelo manual de Sustentabilidade do COI, o Plano prevê, na estrutura organizacional dos Jogos, orientações para cuidados com diversos itens, entre eles conservação e tratamento da água, uso de energia renovável e monitoramento de consumo energético, estímulo à utilização do transporte coletivo, apoio a construções sustentáveis, uso de materiais recicláveis, gerenciamento de resíduos sólidos, reflorestamento e compensação de gás carbônico.

Algumas iniciativas
O Comitê Organizador pontuou que as propostas apontadas no Dossiê de Candidatura, em 2008, para a Sustentabilidade continuam em vigência no Plano apresentado nesta segunda-feira e que qualquer ação relacionada à organização do evento esportivo deve levar a temática em ampla consideração.

As práticas sustentáveis estão previstas, por exemplo, na aquisição, pelo Comitê Organizador, dos suprimentos necessários para garantir a infraestrutura operacional dos Jogos. Para concorrer, os prestadores de serviço precisam preencher pré-requisitos socioambientais. Foi para o desenvolvimento desta cadeia de fornecimentos que o Comitê havia firmado, em julho, seu mais recente acordo de cooperação técnica, com o Sebrae.

A presidente da Empresa Olímpica Municipal, Maria Silvia Bastos, lembrou da certificação internacional de liderança em energia e design ambiental (LEED, na sigla em inglês), que vem sendo adotada nas construções permanentes do Parque Olímpico da Barra. O estímulo ao uso de transporte coletivo também foi ressaltado, lembrando que os Jogos Olímpicos trouxeram para a cidade do Rio de Janeiro o projeto dos ônibus articulados BRTs. Na cidade, também está sendo lançada, nesta semana, pela Prefeitura, a iniciativa Lixo Zero, como medida fiscalizadora e conscientizadora da população, disseminando a cultura da destinação adequada de lixo até os Jogos Rio 2016.

Priscila Novaes, do Rio de Janeiro, especial para o Ministério do Esporte
Foto: Alex Ferro/Divulgação
Legenda: Denise Hamú (PNUMA no Brasil), Carlos Arthur Nuzman (presidente do Rio 2016) e Leonardo Gryner (diretor-geral de Operações do Rio 2016) assinam o acordo do cooperação técnica na sede do Rio 2016
Ascom – Ministério do Esporte
Acompanhe as notícias do Ministério do Esporte no Twitter e no Facebook

  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: