Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias

 

06/06/2013 às 08h50 - Vôlei busca talentos em campeonatos de seleções de base  

Pelo menos 1.500 pessoas são envolvidas, com mais de mil atletas beneficiados a cada temporada, nos Campeonatos Brasileiros de Seleções de vôlei de quadra organizados pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), a partir de recursos repassados por meio de convênios com o Ministério do Esporte. Os investimentos estão no segundo ano consecutivo, em total que alcança R$ 7,9 milhões. Em 2013 serão utilizados R$ 4,7 milhões aprovados no ano passado – ou R$ 1,5 milhão a mais que o convênio anterior. “É a aposta do governo federal na busca incessante de talentos para a manutenção do Brasil no topo do vôlei mundial”, explica o secretário Nacional de Esporte de Alto Rendimento do Ministério do Esporte, Ricardo Leyser.

Para Cilda D´Angelis, responsável pelas unidades de competições de quadra da CBV, os recursos do Ministério do Esporte propiciaram “a participação de 100%” dos Estados nas competições: “Houve uma melhora muito grande, porque vários deles tinham dificuldades para enviar suas seleções estaduais, com custos de transporte, hospedagem e alimentação. Elevou o nível técnico e também vamos alcançando a meta de revelar talentos.”

Um exemplo citado por Cilda é Fernando Gil, levantador de 1,84 m da seleção gaúcha nascido em 1996, ainda infanto-juvenil que já defende a seleção brasileira da categoria e também a juvenil. “A média de altura das seleções vem aumentando, o que também é um objetivo. Por menos de 1,85 m agora é baixinho, mesmo no infanto!”

Os oito campeonatos recebem “olheiros” das comissões técnicas das seleções brasileiras de base. São eles o Juvenil Feminino de Primeira Divisão, o Juvenil Masculino de Primeira Divisão, o Juvenil Feminino de Segunda Divisão e o Juvenil Masculino de Segunda Divisão, e os respectivos outros quatro Infanto-Juvenis. Os Estados têm equipes na primeira ou segunda divisão, de acordo com classificação do ano anterior.

Cada campeonato conta com 12 seleções, cada uma delas com 16 integrantes, entre comissão técnica, atletas e árbitro. Assim, a cada competição se movimentam em torno de 200 envolvidos, ou cerca de 1.500 por temporada.

Secretário destaca as oportunidades para jovens atletas
Ricardo Leyser diz que uma série de jovens que poderia ter sua carreira abortada precocemente por falta de condições de participar em campeonatos, agora, com os recursos repassados à CBV, já tem perspectiva. “O Ministério, assim, dá condições a jovens de todos os Estados de participar de Campeonatos Brasileiros, até mesmo de chegar a ser um campeão olímpico.”

O secretário também observa que nessa fase adolescente as diferenças entre os atletas podem ser grandes em maturação física e técnica, mesmo entre aqueles com a mesma idade. Daí a importância dos “olheiros” das comissões da CBV que acompanham os campeonatos. “Também há muito mais chance de se encontrarem talentos em seleções de Estados do que se a disputa fosse apenas com times. Há fomento do esporte nos Estados, porque os atletas se motivam a treinar, a participar de um Brasileiro.”

A cada temporada, oito campeonatos por todo o Brasil
Este ano já foram disputados os Campeonatos Juvenis Masculino e Feminino de Primeira Divisão, em março, respectivamente na Praia Grande (São Paulo) e São José dos Pinhais (Paraná), e os Infanto-Juvenis Masculino e Feminino da Primeira Divisão, em abril, respectivamente em São Leopoldo (Rio Grande do Sul) e Chapecó (Santa Catarina). Agora em junho as disputas são dos Juvenis Masculino e Feminino da Segunda Divisão, em Campo Grande (Mato Grosso do Sul) e Salvador (Bahia). Em agosto serão os Infanto-Juvenis Masculino e Feminino de Segunda Divisão, em Manaus (Amazonas) e Maceió (Alagoas).

Denise Mirás
Foto: Divulgação/CBV
Ascom - Ministério do Esporte

Acompanhe as notícias do Ministério do Esporte no Twitter e no Facebook


  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: