Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias

 

04/09/2012 às 15h10 - Brasil é ouro na bocha e conquista bicampeonato paralímpico  

A dupla brasileira Dirceu Pinto e Eliseu dos Santos faturou a medalha de ouro na Bocha BC4 nos Jogos Paralímpicos Londres 2012. Eles venceram a dupla da República Tcheca, Leos Lacina e Radek Prochazka, por 5 a 3, e conquistaram o bicampeonato. Os dois brasileiros são beneficiados pelo programa Bolsa-Atleta do Ministério do Esporte.

Eliseu dos Santos comemorou duplamente o ouro. No dia 29 de agosto, na abertura das Paralimpíadas, nasceu seu primeiro filho. Nicolas. "Ele foi meu primeiro ouro", destacou. O paranaense disse que viu o filho apenas pelo computador e que está ansioso para voltar para casa. “Minha esposa me ligou, disse que a bolsa havia estourado e que eu seria papai. Até agora estou meio aéreo. Não vejo a hora de pegá-lo no colo”, comentou.

Por causa de uma distrofia muscular, Santos perdeu gradativamente os movimentos dos membros inferiores. Aos 29 anos começou a praticar bocha. Líder do ranking mundial na classe BC4, a atleta compete pela segunda vez nas Paralimpíadas. Em Pequim 2008, foi ouro em duplas e bronze na individual. Segundo ele, a família foi a grande base para sua vida. “A família é nosso alicerce, sem ela eu não estaria no esporte. Lembro que um dos momentos mais marcantes da minha vida foi quando voltei para casa após uma competição, com a medalha de bronze, e vi o olhar de orgulho de minha mãe para mim”, lembrou, emocionado.

Companheiro de Eliseu na bocha, Dirceu Pinto descobriu em 2002 a extensão de uma doença degenerativa muscular. O esporte foi fundamental para sua adaptação na cadeira de rodas. “Quero muito incentivar as pessoas a praticarem a bocha adaptada. Se não fosse a bocha, eu estaria dentro de casa”, afirmou. Ele ressaltou a importância dos recursos do Bolsa-Atleta para a sua preparação. "Com certeza, se não fosse o Bolsa-Atleta eu não estaria em Pequim (2008), nem aqui em Londres."

O paulista explicou que começou a jogar bocha adaptada em 2002 e que com sua boa colocação no mundial de 2007 no Canadá pôde pleitear o benefício. "O Bolsa-Atleta me dá condições muito boas. Hoje eu vivo do esporte e tenho uma pessoa que trabalha comigo que é remunerada por esses recursos", explicou.

Entenda a Bocha
Competem na bocha paralímpica atletas com paralisia cerebral severa que utilizem cadeira de rodas. O objetivo do jogo é lançar bolas coloridas o mais perto possível de uma bola branca. É permitido o uso das mãos, dos pés ou de instrumentos de auxílio para atletas com grande comprometimento nos membros superiores e inferiores.

Para ganhar um ponto, o atleta tem de jogar a bola o mais próximo do jack. Caso este mesmo jogador tenha colocado outras esferas mais próximas do alvo, cada uma delas também vale um ponto. Se duas bolas de cores diferentes ficam à mesma distância da esfera branca, os dois lados recebem um ponto. Vence quem acumula a maior pontuação.

Confira o hotsite sobre os Jogos Paralímpicos Londres 2012

Rafael Brais, de Londres
Foto: Marcelo Saraiva
Ascom - Ministério do Esporte

Acompanhe as notícias do Ministério do Esporte no Twitter e no Facebook

  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: