Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias

 

06/08/2012 às 10h30 - Marilson completa 35 anos com o sonho de subir ao pódio na maratona olímpica  

Aniversariante do dia, o maratonista Marilson dos Santos, que completa nesta segunda-feira (06.08) 35 anos, prepara o tênis para correr a prova de 42,195km, no último dia dos Jogos Olímpicos, encerrando a edição londrina. “Considero um privilégio competir no último dia. É muito significante correr a maratona, prova que encerra os Jogos Olímpicos. Acho que é uma dádiva e tenho que aproveitar a oportunidade que poucos atletas têm”, definiu Marilson, em entrevista coletiva concedida no Crystal Palace, local de treinamento e concentração de boa parte da delegação brasileira, no sul de Londres.

O maratonista, que recebe o benefício do programa Bolsa-Atleta, do Ministério do Esporte, carrega no currículo o bicampeonato na Maratona de Nova York (2006 e 2008), o tricampeonato da Corrida de São Silvestre (2003, 2005 e 2010) e o ouro nos 10.000m dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara (2011). O atleta espera que a prova masculina tenha características diferentes da corrida realizada pelas mulheres, no domingo (05.08), em Londres.

“O percurso da maratona, embora seja plano, é dificultoso. Sabemos que tem diversas curvas, em um circuito com quatro voltas. Acho que a maratona masculina vai ser diferente da feminina. No feminino, tivemos um grupo maior em grande parte do percurso e isso pode não acontecer no masculino. Podemos ter algumas tentativas de fuga e uma prova mais rápida”, analisou.


Últimas preparações de Marilson em Londres

Aclimatação
Para chegar bem preparado a Londres, Marilson treinou durante três semanas em região de altitude, na cidade de Paipa, na Colômbia. Aterrissou em solo britânico 12 dias antes da prova da maratona. “Esse período que eu cheguei aqui foi o suficiente para aclimatar, sentir essa energia e a temperatura da cidade. Creio que não terei problema com o clima da região, justamente por ter chegado antes”, contou.

Sobre os adversários, o bolsista ressalta que a prova vai ser uma surpresa, pois não existe um favorito à medalha de ouro. “A maratona vem ficando cada vez mais difícil. Isso em todas as provas, sejam elas olímpicas ou não. Está havendo um domínio muito grande de africanos e sabemos que pode acontecer de tudo. Então, temos que nos preparar: é uma prova aberta.”

Confira a reportagem em áudio:



Confira reportagem em vídeo da TV NBR:




Confira o hotsite sobre os Jogos Olímpicos Londres 2012

Breno Barros, de Londres
Foto: Marcelo Saraiva
Ascom – Ministério do Esporte
Acompanhe as notícias do Ministério do Esporte no Twitter e no Facebook

  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: