Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias

 

26/07/2012 às 08h10 - Boxe está no sangue da família Falcão  

Os irmãos Yamaguchi (24 anos) e Esquiva Falcão (22) são o orgulho da família. Os atletas estão em Londres para representar o país no boxe, pela primeira vez nos Jogos Olímpicos nas categorias até 81kg e até 75 kg, respectivamente. “A minha família está muito feliz por ter dois filhos competindo nos Jogos Olímpicos. Eu e o meu irmão somos fanáticos por esporte e amamos o boxe. Nós vibramos muito. Quando vejo meu irmão lutando fico mais nervoso do que quando eu entro para competir”, disse Yamaguchi.

 A grande fonte de expiração do pugilista é o seu pai, Touro Moreno, que o incentivou a praticar esporte desde criança. “O meu pai sempre foi do esporte. Ele fazia o antigo vale-tudo, que hoje é conhecido como MMA (sigla em inglês para Artes Marciais Mistas). Na verdade, eu e o meu irmão éramos para ser lutadores de MMA,  mas entramos no boxe para pegar experiência de ringue e terminamos nos apaixonando pela modalidade”, contou.

Se ganhar uma medalha, o bolsista do Ministério do Esporte sabe muito bem para quem vai dedicar a conquista. “Meu sonho era ter meus pais aqui nos Jogos Olímpicos, mas, infelizmente, não deu para eles virem. Se eu ganhar uma medalha eu vou dedicar ao meu pai.  Ele fez aniversário no mês passado e se Deus quiser eu vou chegar em casa e colocá-la no peito dele. Ele merece”, prometeu.  

Yamaguchi Falcão se classificou para os Jogos de Londres durante o pré-olímpico das Américas, no último mês de maio. “Eu estou muito feliz em poder competir na minha primeira Olimpíada. É o sonho de muitos atletas e sei que muitos outros gostariam de estar aqui. Para mim é uma experiência grande. Quando estiver mais velho poderei contar para os meus filhos”, completou.

O pugilista considera o Bolsa-Atleta uma segurança e alívio que permite aos competidores se manter em treinamento. “O benefício ajuda a gente a crescer dentro do esporte. Às vezes, o esportista sai de uma seleção e não tem dinheiro mensal para pagar um treinamento, um treinador ou, até, um suplemento alimentar”.

Confira o agradecimento do bolsista pela torcida de todo o Brasil:
 



 

Breno Barros, de Londres
Foto: Marcelo Saraiva
Ascom – Ministério do Esporte
Acompanhe as notícias do Ministério do Esporte no Twitter e no Facebook

 



  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: