Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias

 

11/07/2012 às 11h00 - Pentatlo moderno comemora 100 anos de Olimpíadas nos Jogos de Londres  

Os Jogos de Londres ainda nem começaram e o pentatlo moderno, que terá suas disputas iniciadas no dia 11 de agosto, já tem muito a comemorar. Na edição britânica dos Jogos, a modalidade comemora 100 anos no programa olímpico. Desde a estreia em Estocolmo 1912, na Suécia, até o momento, o esporte se aperfeiçoou e ganhou adeptos.

O pentatlo moderno que será visto em Londres tem poucas semelhanças com o que se viu na estreia em Estocolmo. As mudanças ao longo desse um século de existência ocorreram nas mais variadas formas. Em Londres 2012, o pentatlo chega com duas recentes novidades: a criação do evento combinado de tiro e corrida e a pistola a laser.

A modalidade também tem conquistado, junto ao COI, um número cada vez maior de atletas nas últimas Olimpíadas. Em 1996, eram apenas 32 na disputa masculina. Em 2000, foram 48 (24 homens e 24 mulheres) e em 2004, 64 (32 para cada gênero). Desde 2008, são 72 pentatletas, 36 para cada disputa.

Praticado desde as Olimpíadas da Antiguidade, a modalidade foi totalmente modificada para fazer parte dos Jogos da Era Moderna. Se antes, os atletas disputavam as provas de corrida, salto, lançamento de dardo e de disco e luta, depois, passaram a encarar a esgrima, natação, hipismo, tiro e corrida.

O idealizador dessas mudanças foi o Barão Pierre de Coubertin. O francês já tinha deixado sua marca no esporte mundial ao dar origem às Olimpíadas da Modernidade, que teve sua primeira edição em 1896, em Atenas, na Grécia.

“Consta que o Barão de Coubertin, ao criar o pentatlo moderno, inspirou-se na lenda de um soldado encarregado de levar uma mensagem. Ele teria iniciado sua viagem à cavalo, lutado contra assaltantes usando espadas, se infiltrado em campo inimigo a tiros, atravessado um rio nadando e cruzado um bosque correndo”, conta Helio Meirelles, presidente da Confederação Brasileira de Pentatlo Moderno (CBPM).

Em Estocolmo 1912, o pentatlo moderno era um dos 14 esportes presentes. A primeira disputa envolveu 32 pentatletas de 10 países, apenas com a categoria masculina – as mulheres estrearam somente nos Jogos de Sidney, em 2000. O país anfitrião conquistou as três medalhas em jogo.

Após 22 edições em 100 anos de Olimpíadas, a Suécia divide a liderança com a Hungria no quadro geral das 108 medalhas entregues pela modalidade até hoje. Os dois países têm 21 medalhas conquistadas, sendo nove ouros para cada. O desempate favorece os húngaros que têm oito pratas contra sete dos suecos. A antiga União Soviética (URSS) é a terceira da relação com 15 medalhas, cinco de cada.

“O Pentatlo Moderno nestes países tem uma representação diferenciada, pois desde os primórdios eles incorporaram o conceito de ‘atleta mais completo das Olimpíadas’. Ao contrário do Brasil, que gravita em torno da inédita medalha de ouro no futebol, neles, os pentatletas são lendas do esporte e seus campeões são cultuados como grandes ídolos e símbolos para as crianças e jovens, principalmente na Hungria e na Rússia. Nos últimos tempos, a Suécia deixou de percorrer esta trajetória”, analisa o presidente da CBPM.



Participação brasileira na modalidade
O Brasil teve seu primeiro pentatleta em uma Olimpíada em Berlim1936. Na primeira edição alemã dos Jogos, o país esteve representado por três nomes na modalidade: Anísio Rocha, Guilherme Catramby e Rui Pinto Duarte.

Até Tóquio 1964, o Brasil teve pelo menos um representante na competição. O melhor desempenho brasileiro até hoje aconteceu em Helsinque 1952, na Finlândia, quando o país foi o sexto na disputa por equipes – que estreava nos Jogos - e 10º na individual com Eduardo Medeiros.

Além do décimo colocado, a delegação olímpica brasileira do Pentatlo Moderno em 52 contou com Aloysio Borges e o Coronel Eric Tinoco Marques. O militar foi o primeiro campeão Pan-Americano de pentatlo moderno, conquistando o ouro na estreia do Pan, em 1951, em Buenos Aires, na Argentina.

Graças ao feito, o Coronel Eric Tinoco dá nome ao Centro Nacional de Pentatlo Moderno (CNPM), no Rio de Janeiro. A área esportiva foi construída em 2007 pelo Ministério do Esporte para os Jogos Pan-Americanos na capital fluminense e hoje abriga o centro de treinamento da Confederação Brasileira na cidade.

Em Pequim 2008, na China, Yane Marques foi a única pentatleta brasileira competindo. A pernambucana terminou a competição em 18º. Agora em Londres 2012, vai para a sua segunda Olimpíada.

Confira o hotsite sobre os Jogos Olímpicos Londres 2012:



Fonte: CBPM
Ascom - Ministério do Esporte
Acompanhe as notícias do Ministério do Esporte no Twitter e no Facebook

  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: