Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias

 

29/06/2012 às 17h57 - Fernando Saraiva sabe o peso de representar o Brasil nos Jogos Olímpicos  

Dos 245 atletas brasileiros classificados até o momento para Londres, Fernando Saraiva é o que mais sabe o peso de representar o Brasil em uma Olimpíada. Para ele, que conseguiu a classificação durante o pré-olímpico da Guatemala, em maio deste ano, a vaga pesou exatos 410 kg. O halterofilista é um dos 95 atletas beneficiados pelo programa Bolsa-Atleta do Ministério do Esporte que disputarão os Jogos Olímpicos daqui a menos de um mês.

Aos 22 anos, o atleta já acumula vários títulos. Após a última colocação no Pan de 2007, o atletas surpreendeu e trouxe a medalha de ouro inédita para o Brasil nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, no ano passado. Para Londres, Fernando não aposta na medalha, mas espera adquirir experiência para disputar o pódio nos Jogos do Rio 2016.

ME - Como conheceu o levantamento de peso?
Meus pais são associados do Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo, e eu cresci lá. Pratiquei várias modalidades, mas aos 11 anos de idade me identifiquei com o levantamento de peso e venho praticando desde então. Ainda em 2001, no meu primeiro ano de treinamento, participei da minha primeira competição, um campeonato paulista, e ganhei. Meu pai e o técnico do Pinheiros à época viram que eu tinha talento e me incentivaram a continuar.

ME – Quais são seus principais títulos?
Em 2010, conquistei a primeira medalha brasileira na modalidade no Campeonato Mundial de Juniores, em Sofia, na Bulgária. Fiquei com o bronze no arranque, levantando 171 kg. No mesmo ano, também conquistei a prata na categoria acima de 105 kg nos Jogos Sul-Americanos de 2010.

No ano passado, no Pan de Guadalajara, conquistei a medalha de ouro inédita para o Brasil, levantando 410 kg no total –185 no arranque e 225 no arremesso. Com a marca, quebrei quatro recordes dos Jogos Pan-Americanos.

ME - Para o último Pan-Americano você engordou 30 kg para competir. Qual foi a importância de mudar de categoria naquela ocasião?
Conversei com o meu técnico e avaliamos que subir para a categoria acima de 105 kg seria melhor para mim. Então comecei uma superalimentação junto com um treinamento muito forte. O objetivo era subir o peso para me ajudar na minha performance, e até aqui está dando muito certo.

ME – Como está o treinamento para Londres?
Faço dois períodos de treinos por dia: três horas e meia em cada um. Em Londres, meu objetivo é levantar 430 kg, o que pode me garantir a sexta ou até a quinta colocação. Temos países muito fortes, como a Rússia e Irã, que vão ser fortes adversários para o Brasil.

A medalha é muito difícil, mas ficando entre os seis primeiros tudo pode acontecer! Um dia bom aqui ou um dia ruim ali pode fazer muita diferença. Mas quero ficar entre os cinco primeiros nas Olimpíadas de Londres e, em 2016, buscar a sonhada medalha olímpica nos Jogos do Rio.

Confira o hotsite sobre os Jogos Olímpicos Londres 2012:



Paula Braga
Foto: Ruth Hossein/divulgação
Ascom – Ministério do Esporte
Acompanhe as notícias do Ministério do Esporte no Twitter e no Facebook

  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: