Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Notícias

 

28/06/2012 às 12h00 - Marcelo Tosi intensifica preparação na Europa para disputar a prova de hipismo em Londres  

Após a medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara no ano passado, a equipe brasileira do concurso completo de hipismo se prepara para tentar surpreender novamente, só que desta vez nos Jogos Olímpicos de Londres. A delegação que defenderá o país na disciplina conta com cinco cavaleiros e foi definida na última semana. Aos 42 anos, Marcelo Tosi – beneficiado pelo programa Bolsa-Atleta do Ministério do Esporte e que também integrou a equipe do Pan – foi convocado para disputar sua terceira olimpíada. O atleta, que teve o melhor desempenho entre os brasileiros em Pequim 2008, conta como está a preparação para Londres e esclarece sua opção por treinar na Europa, onde mora há oito anos.

ME – Como você avalia a participação brasileira no Pan, que garantiu a vaga em Londres?

Foi muito boa e com a apresentação de resultados sólidos. Se não fosse pelo contratempo que tivemos com dois cavaleiros, o que é totalmente possível de acontecer em uma competição, teríamos brigado pela prata. Mas acho que demonstramos nosso real nível em relação aos atletas das américas. Para Londres, o diferencial em relação ao ano passado é que os treinos de quase toda a equipe estão sendo feitos aqui na Inglaterra e na Europa.

ME – Como está a rotina de preparação para Londres?

Está intensa. Tenho treinado o adestramento duas vezes por semana e faço de quatro a cinco aulas com a Anna Ross Davies, minha treinadora. Além disso, estamos competindo toda semana com os sete cavalos que temos e que estão em treinamento. Destes, dois são cavalos jovens que estão sendo treinados para o Pan de 2015 e para as Olimpíadas do Rio 2016.

Ainda essa semana disputaremos a Barbury, entre os dias 28 de junho e 1 de agosto. Antes de Londres, também estaremos na Glanusk, dias 7 e 8 do próximo mês, e Dauntsey, dia 18.


ME – Você optou por realizar a preparação para as Olimpíadas na Inglaterra, berço do hipismo CCE. Qual o diferencial do treino no exterior em relação ao Brasil?

Estou há oito anos na Europa e há um ano e meio treinando na Inglaterra. Aqui a gente tem mais praticantes e por isso mais competições. Os eventos aqui chegam a reunir 900 conjuntos em um único fim de semana e temos de quatro a cinco campeonatos por semana, dá até pra escolher!

Com a quantidade, eles acabam tendo mais qualidade também, tanto no nível técnico quanto na competitividade. Conhecer os competidores de outros países e o suporte de treinamento que as grandes equipes têm é um dos diferenciais em relação ao Brasil, que ainda não tem muita tradição na modalidade.

ME – Qual a expectativa para disputar sua terceira olimpíada?

Estou tranqüilo. Estamos trabalhando forte para tentar evoluir em resultados em relação aos Jogos de 2008, quando o Brasil ficou com a 10ª colocação no total por equipes.

As disputas do hipismo CCE nos Jogos olímpicos de Londres acontecerão entre os dias 28 e 31 de julho no Greenwich Park. Somando as três disciplinas (adestramento, salto e concurso completo) cerca de 200 cavaleiros e amazonas disputarão o pódio em Londres.

Paula Braga
Fotos: Divulgação
Ascom – Ministério do Esporte
Acompanhe as notícias do Ministério do Esporte no Twitter e no Facebook

  Enviar Matéria Imprimir   Compartilhar: Facebook Twitter Orkut Link: