Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Apresentação

Os Jogos dos Povos Indígenas são considerados um dos maiores encontros esportivos culturais e tradicionais de indígenas da América. Com o objetivo central de promover o esporte sócio-educacional como identidade das culturas autóctones, voltado à promoção da cidadania indígena, à integração e aos valores originais.


Os Jogos têm como objetivo específico:

  1. Proporcionar a cada participante, o conhecimento de novas modalidades esportivas tradicionais;
  2. Incentivar o coletivo na prática dos esportes tradicionais e, como conseqüência, propiciar uma vida mais digna e respeitosa no inter-relacionamento com toda a sociedade envolvida, resgatando assim, o orgulho do brasileiro nato, “o homem índio”;
  3. Criar um novo conceito de se fazer conhecer e estabelecer uma relação de igualdade com a sociedade envolvente, cuja linguagem será também os valores principais dos elementos da natureza;
  4. Possibilitar através do esporte esse momento de respeito às diferenças e de promoção da diversidade cultural e étnica que caracteriza os indígenas brasileiros - Jogos do homem natureza;
  5. Demonstrar e possibilitar o intercâmbio das manifestações esportivas e culturais de cada povo indígena;
  6. Resgatar e incentivar nas etnias indígenas, as práticas de seus esportes e costumes tradicionais;
  7. Fazer a sociedade não indígena conhecer e valorizar todo segmento desportivo original indígena, como conseqüência, afastar o preconceito e estimular o respeito.

 

Sobre a XI edição dos Jogos dos Povos Indígenas (JPI)

Os Jogos dos Povos Indígenas (JPI) chegam à 11ª edição em 2011, com a bandeira da sustentabilidade e do resgate das culturas indígenas tradicionais. O evento, que acontece entre os dias 5 e 12 de novembro, tem como sede o município tocantinense de Porto Nacional, que fica a cerca de 60km da capital, Palmas. São sete dias de competições e apresentações culturais, com a participação de cerca de 1.300 indígenas, de aproximadamente 35 etnias, vindas de todas as regiões do país. São esperados ainda líderes e observadores indígenas de outros países (Argentina, Austrália, Bolívia, Canadá, Equador, EUA, Guiana Francesa, Peru e Venezuela).

O evento tem como palco a ilha de Porto Real. A estrutura inclui a construção de uma verdadeira Aldeia Olímpica Indígena para receber os participantes, além de uma arena com capacidade para oito mil pessoas. Entre as novidades desta edição, está a divisão do evento em duas temáticas. A primeira, voltada para o Fórum Social Indígena e a Rio+20, aborda a Conferência Internacional do Meio Ambiente e discute a economia verde e temas com foco na sustentabilidade e na preservação das tradições indígenas. Já a segunda tem como objetivo o intercâmbio esportivo e cultural entre as etnias, além de propor um debate sobre a inclusão indígena como legado da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 e dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016.