Redes Sociais: Facebook   Google Plus   Extragram   Twitter   Flickr   Youtube

Informações - Entidades


Detalhes de Entidade
Nome da Entidade: CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE DOUBLE DUTCH E ROPE SKIPPING
Responsável: IARA TOCICO ITO
Endereço: AV WALDOMIRO DAUD, 514
UF: SP Cidade: São José do Rio Preto
CEP: 15070-530
Telefone 1: (17)3021-1150
Telefone 2: (11)8720-9533
Fax: (17)3231-9994
E-mail: iaraito@yahoo.com
Site: www.cbddrs.org.br

Histórico:

A atividade de pular corda provavelmente se originou quando anciãos fenícios e egípcios, famosos fabricantes de cordas, pulavam cordas para testar a qualidade e acabavam se divertindo com essa atividade. Isso acontecia em lugares abertos, nos portos onde havia comércio e outras atividades. Mesmo no trabalho os fabricantes desfrutavam dessa atividade na qual reunia a família e harmonizava trabalho e lazer. Essa brincadeira passou de geração para geração entre marinheiros colonizadores e feirantes dos portos. No século XVII os colonizadores holandeses levaram a brincadeira para Nova Amsterdam (atual Nova York). Desde os primeiros dias o double dutch se popularizou, pois não era necessário muito equipamento, algumas crianças usavam apenas um varal velho e pulavam nas ruas em frente as suas casas. O esporte Double Dutch foi fundado em 1973 por David A. Walker. Ele trabalhava como sargento da Polícia na divisão de relações comunitárias da cidade de Nova York. Ao observar essa brincadeira, teve, primeiramente, a visão de algo que seria interessante para as crianças. David Walker e seu companheiro de trabalho Ulysses Williams fundaram a American Double Dutch League (ADDL), que foi a primeira entidade desse esporte. Em seguida David estabeleceu clubes de double dutch em diversas áreas dos Estados Unidos e de outros países. David também escreveu as regras do esporte, fundou a National Double Dutch League (NDDL) e a International Double Dutch League (IDDF). Em 1993 apresentou pela primeira vez o conceito “Fusão” no double dutch que é apresentado todo ano no evento “Holiday Classic”, também criado por David Walker. Origem e significado da palavra Double Ducth Os holandeses usavam duplo dialeto para confundir os ingleses durante negociações em feiras que aconteciam nos portos de Nova Amsterdam, por isso, a expressão “double dutch”. Sendo que “double” significa “duplo” e “dutch” o nome da língua holandesa. Tornou-se uma piada americana para qualquer coisa que holandeses dissessem ou fizessem. Double Dutch no Brasil. Após o lançamento de um filme americano, que fala sobre o esporte, começou a surgir equipes da modalidade. E foi o caso da equipe DDBR, formada em julho de 2007 por nadadores, que praticavam double dutch antes e após os treinos. Em outubro esse grupo se apresentou em um quadro do programa “Domingão do Faustão” na Rede Globo, onde ganharam um prêmio pela apresentação. Foi a primeira vez que o esporte foi apresentado em rede nacional. Após essa apresentação outros grupos começaram a aparecer na mídia. Em janeiro de 2008 o grupo “DDBR” apresentou, junto da equipe americana de Rope Skipping, em convenções de uma empresa de refrigerantes, divulgando uma promoção com a modalidade. Nas conversas e curiosidades sobre a modalidade, a diretora executiva do Rope Skipping e o publicitário da empresa, falaram da possibilidade do desenvolvimento do esporte no Brasil, da necessidade de uma Confederação que regularizasse e organizasse as modalidades de corda no país. O que despertou o interesse de Iara Tocico Ito, atleta do grupo “DDBR”. Iara passou três meses pesquisando as modalidades de corda, fez contatos com várias equipes de diversos países. Até que em março recebeu um email de David Walker com seu telefone, pedindo que ela ligasse para conversar melhor. Iara conversou com David sobre o esporte e a possibilidade de desenvolvê-lo no Brasil, David lhe ofereceu apoio caso ela seguisse em frente com a idéia. Tendo uma experiência como atleta e conhecendo algumas normas de entidades esportivas organizadoras (confederações e federações), Iara começou a estudar as leis esportivas, procurou o Ministério do Esporte para uma melhor orientação. Acumulou informações, conhecimentos e orientações do Ministério e de David. Em julho de 2008 foi realizado a elaboração do estatuto e a reunião dos possíveis diretores, em agosto, do mesmo ano, foi aprovado, em cartório, o registro da Confederação Brasileira de Double Dutch e Rope Skipping. Em meio às pesquisas e elaboração dos documentos para a fundação da Confederação, Iara recebeu um convite de David Walker para estar fazendo um curso especial de árbitro e técnico e aproveitar para estar filiando a Confederação na International Double Dutch Federation. Aceitou o convite. Em outubro foi para Nova York, fez os cursos com o técnico e coreografo Stephone Webb, se reuniu com Lauren Walker (filha de David e diretora executiva da International Double Dutch Federation e National Double Dutch League) para realizar a filiação da Confederação. Na reunião recebeu um par de cordas oficiais da modalidade, alguns vídeos e uma camiseta, que foram separados por David para tal encontro. David faleceu em 20 de Julho. Em março de 2009 a Confederação Brasileira de Double Dutch e Rope Skipping foi reconhecida pelo Ministério do Esporte como entidade organizadora das modalidades de corda no país. Histórico do Rope Skipping. Era uma brincadeira e também um exercício de condicionamento físico. Em 1969 o jogador de futebol e professor de educação física, Richard Cendalli, em um de seus treinos começou a pular de um jeito diferente, colocando movimentos mais divertidos na corda. Resolveu ensinar seus alunos, que criaram novos movimentos. Richard montou um grupo (Skip it) e investiu na divulgação do Rope Skipping, que ganhou regras e hoje é um esporte competitivo.

* As informações prestadas nesta página são de responsabilidade das entidades.

Eventos cadastrados pela Entidade:

Período a